Pavimentação de estrada rural de quase 6 km beneficia agricultura familiar em Pato Branco

180 agricultores serão beneficiados nas comunidades São Caetano e Barra do Dourado. Importante conexão com o centro da cidade, a pavimentação vai garantir deslocamento mais seguro para quem utiliza os serviços de saúde, transporte escolar e lazer.
Publicação
23/11/2022 - 14:20
Editoria

Confira o áudio desta notícia

A pavimentação de uma estrada rural em Pato Branco, no Sudoeste do Paraná, vai beneficiar produtores e comunidade local. A estrada municipal Romualdo Guarez receberá investimento de R$ 4,42 milhões, sendo R$ 1 milhão por meio do programa Estradas da Integração, da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, e R$ 3,42 milhões do município. Estima-se que aproximadamente 180 agricultores serão beneficiados nas comunidades São Caetano e Barra do Dourado, além de demais usuários.

O convênio, assinado em 2021, prevê a pavimentação asfáltica ao longo de 5,7 quilômetros. Importante conexão com o centro da cidade, essa estrada é utilizada pelas comunidades rurais para transportar produtos da agricultura familiar que abastecem feiras e supermercados. Além de facilitar essa logística, a obra vai garantir deslocamento mais seguro para quem utiliza os serviços de saúde, transporte escolar e lazer.

A agricultura é fundamental para a economia de Pato Branco, com destaque para a produção de grãos, olericultura, fruticultura, bovinocultura leiteira e avicultura. De acordo com o técnico Valdemir de Almeida, do Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável (Deagro) da Seab no município, os agricultores tinham dificuldades com o trânsito principalmente em dias chuvosos, o que prejudicava o transporte de insumos ou da própria produção. “Era um problema sério, e nossa região tem chuvas frequentes no verão”, conta.

Após uma breve pausa devido ao excesso de chuvas na região nos últimos meses, as obras seguem na fase de terraplanagem para adequação, e execução do alargamento de uma ponte existente no local. O prazo para finalização é até 2024, mas a conclusão pode acontecer antes da data limite. “Vai melhorar muito a vida do produtor rural, assim como das pessoas que precisam se deslocar para o interior, para revenda de insumos e assistência técnica”, completa o técnico.

EXEMPLO – O agricultor Agostinho Madalosso, que se dedica com a família à produção de hortaliças e frutas orgânicas em uma área de dois hectares, e fornece para duas feiras e três supermercados, comemora a pavimentação. “A estrada era ruim. Mesmo passando máquinas, em poucos dias já estragava, porque era bem movimentada. Para mim, que às vezes precisava ir duas vezes ao dia para a cidade, era difícil”, explica.

De acordo com o produtor, nos dias de chuva o caminhão que transporta os produtos precisa ser guinchado e muitos produtos são perdidos. A conclusão do asfalto vai reduzir significativamente os gastos com manutenção, além de impulsionar o turismo rural, com compradores que vão diretamente à propriedade. “No final de semana tinha boa venda aqui, o problema era a estrada. Com o asfalto, o movimento vai voltar”.

INTEGRAÇÃO – O programa Estradas da Integração visa, além das reformas necessárias para a logística da agricultura familiar, melhorias nas condições de vida da comunidade e proteção do meio ambiente, de acordo com princípios conservacionistas. O plano de trabalho para manutenção das estradas leva em consideração o controle da erosão na via e propriedades vizinhas, reduzindo o carreamento de sedimentos para os cursos d’água e consequentemente a poluição das águas e o assoreamento dos leitos.

Outro benefício citado pela chefe do núcleo regional da Seab em Pato Branco, Leunira Tesser, é para a permanência das famílias no campo, garantindo a produção de alimentos. “Quando o governo investe em estradas e segurança, é um benefício tanto para o rural quanto para o urbano. A gente percebe que, quando as estradas que estão pavimentadas, muitas pessoas voltam a morar no campo, compram suas chácaras. Então também é um caminho para levar as pessoas do meio urbano para a área rural, e manter os jovens no campo”.

O programa busca promover a conscientização das comunidades sobre a necessidade de conservação dos recursos naturais, principalmente água e solo, como condição básica para a melhor conservação das estradas rurais. Com a readequação das estradas, é possível melhorar a trafegabilidade, reduzir custos de manutenção e da produção agrícola. Também inclui capacitação das administrações municipais nas técnicas de gestão, manejo e conservação.

Nos últimos três anos, o Governo do Estado pavimentou 1.000 quilômetros de estradas rurais com pedras poliédricas ou com blocos sextavados em todo o Paraná. O investimento chegou a R$ 304 milhões, beneficiando 18 mil famílias de 202 municípios.

GALERIA DE IMAGENS