Estado inicia projeto de Postos Avançados da Agência do Trabalhador em colégios estaduais

Ele auxiliará os jovens com currículos, entrevistas de emprego ou estágio e encaminhamento profissional. Também é a chance de ter um contato mais amplo com o universo das profissões e com programas estaduais como o Cartão Futuro e a rede de ofertas do CIEE, parceiro do projeto.
Publicação
21/03/2022 - 19:40
Editoria

Confira o áudio desta notícia

Estudantes de três colégios estaduais de Curitiba contam agora com os serviços da Agência do Trabalhador dentro da própria escola. Nesta segunda-feira (21) foram inaugurados os Postos Avançados dos colégios Estadual do Paraná (Centro), Centro Estadual de Educação Profissional de Curitiba (CEEP), no Boqueirão, e Colégio Estadual Pedro Macedo, no Portão.

O posto funcionará como uma ponte com o mercado de trabalho. O Estado conta com uma rede de 216 Agências e quase 200 Postos Avançados para fazer a intermediação com empresas parcerias. Ele auxiliará os jovens com currículos, entrevistas de emprego ou estágio e encaminhamento profissional. Também é a chance de ter um contato mais amplo com o universo das profissões e com programas estaduais como o Cartão Futuro e a rede de ofertas do CIEE, parceiro do projeto.

“O objetivo das novas unidades é atender não apenas os estudantes que estão à procura de estágio ou vaga de jovem aprendiz, mas também dar oportunidades aos pais dos estudantes que estão procurando emprego”, explica o secretário Ney Leprevost, de Justiça, Família e Trabalho. 

O principal objetivo da extensão dentro do colégio é facilitar o cadastramento dos estudantes. Muitas vezes existe uma determinada vaga, mas não tem o jovem no perfil que a empresa necessita disponível. “A intenção é facilitar essa ponte para vagas de estágio e do primeiro emprego”, completa a chefe do Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda, Suelen Glinski.

O Posto Avançado também poderá atender outros membros da comunidade escolar, como pais de alunos e alunas que estejam em busca de uma vaga de emprego. Os colégios onde foram instalados têm mais de dois mil alunos cada.

“A gente trabalha justamente para isso: melhorar a Educação do Paraná, prepará-los para o futuro e criar oportunidades, e esse é um dos programas que faz isso acontecer”, afirmou o secretário Renato Feder, da Educação e do Esporte. Segundo ele, essa estratégia se soma ao aprendizado que os alunos já têm no colégio estadual para o mercado de trabalho, como o Novo Ensino Médio e as aulas de educação financeira, de programação e de robótica.

GALERIA DE IMAGENS