Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos

Houve expansão do Instituto de Criminalística, viaturas e especialistas. Foram firmadas parcerias com a UEPG e Secretaria da Saúde. Laboratório de Genética Molecular Forense mapeou mais de 5.000 perfis genéticos.
Publicação
04/01/2022 - 08:50
Editoria

Confira o áudio desta notícia

A Polícia Científica do Paraná, uma das instituições vinculadas à Secretaria da Segurança Pública, completou 20 anos em 2021 e se consolidou como uma das melhores do País, com evolução na estrutura, equipamentos, parcerias e tecnologia.

Tanto nos laboratórios quanto em campo, os profissionais da área forense deram respostas em menor tempo possível aos órgãos competentes, Poder Judiciário e ao cidadão.

“Todo o investimento viabilizado pelo Estado e destinado à Polícia Científica paranaense é feito com confiança na corporação. O retorno dos investimentos, inclusive, volta à Secretaria da Segurança Pública em forma de serviço prestado à sociedade, que conta com profissionais em nível de excelência para dar celeridade no atendimento às demandas existentes no campo da ciência forense”, afirma o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

Em 2021 houve uma expansão de atuação Polícia Científica no Paraná, por meio da ampliação do Instituto de Criminalística, em mais oito cidades do Interior - Jacarezinho, União da Vitória, Paranavaí, Pato Branco, Toledo, Telêmaco Borba e Apucarana e Campo Mourão.

Junto com essa ampliação, as unidades do também receberam sete novas viaturas, que somaram um investimento de R$ 1,1 milhão, e equipamentos oriundos de uma parceria do Estado com a Secretaria Nacional de Segurança Pública.

De acordo com o diretor-geral da Polícia Científica do Paraná, Luiz Rodrigo Grochocki, o serviço prestado pelos peritos criminais tornou-se indispensável para que a justiça prevaleça. “Nossos profissionais constantemente desenvolvem meios para atingir a excelência no campo forense. Mesmo tendo superado diversas metas em 2021, nossa busca pela verdade através da ciência continua”, disse.

O Estado também investiu na ampliação das equipes da Polícia Científica do Paraná nos últimos anos. O concurso de contratação, que iniciou em 2017, resultou na contratação de 21 peritos criminais, 15 médicos-legistas, cinco auxiliares de necropsia e dois toxicologistas em 2021.

PARCERIAS  A Polícia Científica também recebeu, por meio da Secretaria da Segurança, um projeto para implantação de uma nova unidade da Polícia Científica no campus da Universidade Estadual de Ponta Grossa. As tratativas para assinatura do Termo de Cooperação Técnica entre o Estado e a universidade, e para a licitação da construção da unidade estão em andamento.

Em maio, a Secretaria da Segurança e a da Saúde firmaram, ainda, um Termo de Cooperação Técnica entre a Polícia Científica do Paraná e o Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT), que permitirá o uso compartilhado do laboratório multiusuário de patologia forense do Instituto Médico Legal (IML). O objetivo é unir a tecnologia da PCP com o recurso humano do CHT e criar o primeiro laboratório deste tipo em todo o Brasil.

PERFIS GENÉTICOS – Referência nacional, o Laboratório de Genética Molecular Forense da Polícia Científica do Paraná já mapeou mais de 5.000 perfis genéticos, que auxiliaram em centenas de investigações criminais. Mais de 300 casos foram solucionados a partir de exames feitos neste laboratório, inclusive alguns envolvendo criminosos seriais, a exemplo do caso de Rachel Genofre.

O laboratório paranaense faz parte da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), que conecta laboratórios de todo o Brasil para o confronto de perfis genéticos de amostras coletadas em todos os estados, formando uma teia para desvendar crimes que poderiam ficar sem solução.

Neste ano, o laboratório também se destacou após desenvolver um projeto de aprimoramento de estrutura. Com isso, o Paraná recebeu a maior nota de avaliação do Brasil após a validação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que garantiu um investimento do governo federal de R$ 790 mil para o laboratório.

INTERNACIONAL  Em novembro, o Paraná sediou a terceira edição do InterForensics, maior evento internacional de ciências forenses da América Latina, que foi coordenado pela Academia Brasileira de Ciências Forenses e pela Polícia Científica do Paraná.

Peritos do mundo todo apresentaram trabalhos, artigos, experimentos, e compartilharam muito do conhecimento que reflete diretamente no avanço das ciências forenses e, consequentemente, na Segurança Pública. No evento, um dos peritos foi premiado devido um artigo científico sobre a extração mais aprofundada de dados de dispositivos, como celulares, computadores e Hds na categoria Crimes Cibernéticos.

EM CAMPO – Além dos laboratórios, a Polícia Científica do Paraná possui diversas atribuições indispensáveis para o estudo e a resolução de casos com sua atuação em campo, muitas vezes atreladas à operações da Polícia Militar ou na resolução de casos com a Polícia Civil.

Um exemplo é a Operação Mata Atlântica em Pé, desencadeada em todo o país durante o mês de setembro, que teve apoio da Seção de Crimes Ambientais do Instituto de Criminalística paranaense. Nesta ação houve a aplicação de mais de R$ 15 milhões em multas por crimes ambientais.

GALERIA DE IMAGENS

  • Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN
    Destaque no Brasil, Polícia Científica ganha tecnologia, estruturas e equipamentos.
    Foto: Gilson Abreu/AEN