BRDE aprova Plano de Ações sustentáveis e reitera compromisso com agenda verde

Ele tem três eixos principais, além de transparência e informação, e 11 ações de curto, médio e longo prazos. A nova meta aproxima ainda mais o banco do seu compromisso com a sociedade e com um ambiente cada vez mais verde.
Publicação
Editoria

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) aprovou nesta semana um Plano de Ações sustentáveis para os próximos anos. Ele tem três eixos principais, além de transparência e informação, e 11 ações de curto, médio e longo prazos. A nova meta aproxima ainda mais o banco do seu compromisso com a sociedade e com um ambiente cada vez mais verde.

O primeiro eixo é relacionado a atividades e processos internos do BRDE, que deverá enfrentar o desafio de avançar sobre o projeto da Agenda Ambiental de Administração Pública (A3P). Neste eixo está prevista a melhoria do desempenho climático da organização nas emissões de gases, mas também aquisição de bens e produtos mais amigáveis com o clima, como o carro elétrico recentemente adquirido pelo BRDE.

O segundo eixo trata do apoio a projetos sociais por meio de leis de incentivo fiscal e atividades para o público desenvolvidas nos espaços culturais das agências. Nesse caso, foram agregados o Fundo Verde e Equidade, recentemente aprovado pelo BRDE. O terceiro eixo refere-se aos financiamentos do banco destinados a projetos verdes e sustentáveis, ao monitoramento climático dessas operações e mensuração da contribuição do BRDE para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Segundo o presidente do banco, Wilson Bley Lipski, com o plano o BRDE reafirma seu compromisso com a agenda ESG (ambiental, social e de governança, em português), e diversos aposta em instrumentos que darão efetividade à Política de Responsabilidade Social, Ambiental e Climática da instituição.

“A partir desse novo posicionamento do BRDE, atuaremos no desenvolvimento na região Sul com projetos vinculados à sustentabilidade e proteção da água, prevenção e controle da poluição, proteção e restauração da biodiversidade, mitigações e adaptações às mudanças climáticas, transição para economia circular, agropecuária sustentável e equidade, e inclusão econômica e cidadã”, explicou.

Entre as novas ações já em andamento estão o Banco Verde e o BRDE Labs, programa para acelerar o desenvolvimento de inovação na Região Sul que nesse ano seleciona startups cujos projetos estão relacionados aos ODS da Organização das Nações Unidas (ONU).

De acordo com o diretor de Planejamento do BRDE, Otomar Vivian, a iniciativa dá efetividade aos princípios e diretrizes da instituição em relação a sua responsabilidade social, ambiental e climática. “O Plano de Ações reafirma nossa condição de organização signatária da Agenda 2030. É mais um passo no caminho de amadurecimento e aprofundamento da postura do BRDE enquanto Banco Verde", destacou. Atualmente, 78% das operações de crédito contratadas pelo banco apresentam alinhamento com ao menos um dos 17 ODS.

BANCO VERDE – O Banco Verde é uma iniciativa que estabelece alguns critérios para conceder crédito para projetos sustentáveis. Um deles trata a respeito da criação do Fundo Verde, que visa apoiar iniciativas privadas e a sociedade organizada, pautada no desenvolvimento socioambiental, por meio de edital de credenciamento. Há também uma análise diferenciada, com precificação específica para projetos que assumam o compromisso do carbono zero.

BRDE LABS – Em sua terceira edição nos três estados do Sul, o BRDE Labs foi criado para acelerar o desenvolvimento do ambiente de inovação em nível estadual, associado às necessidades dos ecossistemas locais, em acordo com as diretrizes dos governos estaduais de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

GALERIA DE IMAGENS