Outubro Rosa

Estado reforça ações de polícia na região de Quedas do Iguaçu

Confira o áudio desta notícia


O chefe da Casa Civil, juntamente com o secretário Wagner Mesquista e o prefeito Edgar Bueno, participou de uma reunião do Conselho de Gestores de Segurança Pública de Cascavel, realizada na Câmara Municipal da cidade. Cascavel, 01/04/2016.Foto: Divulgação
O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e o secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita, anunciaram nesta sexta-feira (01) um reforço nas ações policiais e a ampliação da fiscalização de órgãos estaduais em Quedas do Iguaçu e região.
“Nós queremos levar tranquilidade às pessoas. Esta é uma missão que envolve toda estrutura do Estado, com destaque para as forças de segurança”, disse Rossoni durante reunião com promotores e lideranças locais na prefeitura de Quedas. Rossoni afirmou que aquilo que compete ao governo será feito para evitar crimes e conflitos na região, onde há um clima tenso em razão da invasão de áreas da empresa Araupel pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).
“Quem não tiver problemas com irregularidades pode ficar tranquilo. Agora, quem estiver agindo fora da lei que se preocupe, pois terá que responder por seus atos. As ações do Estado serão efetivas para fazer com que as pessoas cumpram as leis”, explicou.
INTERLOCUÇÃO - O chefe da Casa Civil salientou a preocupação do Estado para que haja diálogo entre as partes e disse que o governo quer ser interlocutor para a mediação dos conflitos.
“Faremos todo o esforço para que os direitos de todos sejam preservados”, afirmou Rossoni. “Já havia a presença do Estado, mas agora nos faremos presente mais efetivamente, mas sempre em busca do diálogo. Agora, além do diálogo, o cumprimento da lei”.
O secretário da Segurança Pública afirmou que 80 agentes das forças de segurança do Estado estão atuando em Quedas do Iguaçu e região para combater crimes e dar encaminhamento a investigações de ocorrências relatadas pela sociedade. Além disso, um delegado foi destacado para trabalhar exclusivamente em inquéritos abertos a partir do início do conflito agrário.
“Eu quero me dirigir à sociedade de Quedas do Iguaçu e ao MST para dizer o seguinte: a lei que vale para mim, vale para o governador, vale para a comunidade e vale para o Movimento Sem Terra. Nós vamos fazer um trabalho efetivo de segurança para garantir a tranquilidade das pessoas e assegurar o direito de todos”.
CASCAVEL – Pela manhã, o chefe da Casa Civil, juntamente com o secretário Wagner Mesquista e o prefeito Edgar Bueno, participou de uma reunião do Conselho de Gestores de Segurança Pública de Cascavel, realizada na Câmara Municipal da cidade.
Rossoni elogiou o protagonismo da sociedade local na discussão sobre as questões que afetam a vida das pessoas. O grupo é integrado pela Polícia Rodoviária Federal e Estadual, Polícia Civil, Militar e Federal, Justiça Federal, Justiça Estadual, Exército e Ministério Público, dentre outras instituições.
Rossoni também atendeu veículos de imprensa em Cascavel e destacou que a determinação do governador Beto Richa para a Casa Civil é dar mais agilidade às ações do Estado. “Destravar o que está emperrado e fazer as coisas andarem mais rápido. Este é o desafio”, afirmou.
O chefe da Casa Civil disse, ainda, que primeira meta é terminar as obras iniciadas. “O mais difícil era equilibrar a situação financeira do Estado. Isso o governo conseguiu. Agora nós temos que dar andamento às obras que têm alguma dificuldade. A primeira etapa é esta. Em paralelo vem a etapa dos convênios com os municípios”, relatou Rossoni.
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr

Confira a galeria de fotos desta notícia

Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:

CAPTCHA imageRecarregar CAPTCHA
Encontrou algum erro
Paraná informa