Outubro Rosa

Rádio - Notícias

13/10/2021

Sanepar recebe em Dubai certificado de compensação de gases de efeito estufa


A Sanepar recebeu um certificado de compromisso ambiental entregue pelo Instituto de Tecnologia do Paraná, Tecpar, reforçando nesta semana o seu propósito com a compensação de gases de efeito estufa. A entrega ao governador Carlos Massa Ratinho Junior e ao presidente da empresa, Claudio Stabile, foi nesta quarta-feira, nos Emirados Árabes Unidos, onde o Paraná apresenta a sua sustentabilidade ao mundo. Além do Tecpar, são idealizadores da metodologia e averiguação a Invest Paraná, o Instituto Água e Terra, IAT, e a Universidade Federal do Paraná, UFPR, com apoio do Centro de Excelência em Pesquisas sobre Biomassa e Carbono e a Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná. A partir da certificação, a Sanepar assumiu o compromisso de contribuir com a compensação de 178 toneladas de carbono por ano com a adoção do Parque Estadual Rio da Onça, em Matinhos, no Litoral. Assim, a Companhia vai compensar a emissão do gás carbônico gerado no processo de tratamento de esgoto da estação Rio das Pedras, em Marilândia do Sul, no Vale do Ivaí. O inventário de carbono do parque já foi realizado pelas equipes técnicas. O governador destacou que no Paraná o desenvolvimento econômico é aliado ao desenvolvimento sustentável, seguindo com rigor todas as diretrizes estabelecidas pela OCDE. A partir de estudos conduzidos pela UFPR e IAT, o Tecpar dimensionou que a área preservada do Parque Rio das Onças captura 178 toneladas de carbono por ano, o equivalente a 94% da emissão de gases de efeito estufa, em 2020, da Estação de Tratamento de Esgoto de Marilândia. Mantido pelo IAT, o Parque Rio das Onças tem 119 hectares e abriga um trecho remanescente de Mata Atlântica com bromélias, orquídeas e outras espécies de vegetação típica do litoral paranaense. Para o presidente da companhia, o certificado reafirma o compromisso da Sanepar em promover o desenvolvimento sustentável e o comprometimento com as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, da ONU. A intenção do programa é alcançar mais rápido o objetivo de diminuir as emissões de gases do efeito estufa na atmosfera, em alinhamento aos compromissos assumidos pelo Paraná em busca da diminuição dos impactos do desenvolvimento econômico sobre o clima. A partir desse projeto-piloto, o Tecpar desenvolveu um novo programa de certificação, o Sistema CarbonCert, que vai atestar a conformidade do registro de emissões de carbono. A metodologia será expandida para outras áreas públicas ou privadas e outros tipos de vegetação nativas e plantadas. O Paraná tem hoje 71 unidades de conservação, que juntas têm mais de 1 milhão de hectares. Pela metodologia do estudo, a floresta protegida por essas unidades tem capacidade de sequestro de carbono anual de 1 milhão e meio a 2 milhões de toneladas de carbono da atmosfera. Esse é o primeiro passo do projeto, que ainda está em desenvolvimento e vai auxiliar a Política Estadual de Carbono, organizada pela Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. Na sequência, a Invest Paraná, agência que faz o relacionamento com a iniciativa privada, irá definir as formas de incentivar outras empresas a acessarem esse ativo para mitigar as suas emissões. (Repórter: Felippe Salles)


Recomendar esta página via e-mail: