Rádio - Notícias

21/07/2021

Mercado paranaense de bebidas emprega 5 mil pessoas e ganha projeção nacional


Desde 1898 a água mineral Ouro Fino é envasada. A fonte de água muito pura fica em Campo Largo, na Região de Curitiba. Foi com a aquisição da área pela família Mocellin, na década de 30, que a marca começou a chegar à mesa dos paranaenses. O nome da fonte remonta ao tempo dos índios que ali habitavam e a batizaram assim porque lá podiam encontrar um ouro muito fino. Mas a riqueza maior da mina sempre foi a água. Em mais uma reportagem da série que apresenta produtos Feitos no Paraná, conhecemos algumas empresas do setor de bebidas do estado. De acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, o Paraná tem 203 fabricantes de bebidas, sendo 142 de bebidas alcoólicas e 61 de não alcoólicas. Juntas, geram cerca de cinco mil empregos diretos. Uma das expoentes é a centenária Ouro Fino. Marcelo Henrique Marques, CEO da empresa, se orgulha em contar que a água que sai da fonte hoje tem as mesmas propriedades daquela extraída há mais de um século. // SONORA MARCELO HENRIQUE MARQUES // Com 120 anos de história, atualmente, a terceira geração da família está no comando dos negócios. A Ouro Fino emprega cerca de 250 funcionários e gera aproximadamente 2.500 empregos indiretos. O negócio principal é a comercialização de águas, nos mais diferentes formatos e tamanhos de embalagens. A empresa é líder absoluta no mercado de águas no estado e figura entre as dez maiores de água mineral do Brasil, também produzindo as chamadas águas funcionais, com sabores e ricas em algumas vitaminas e colágeno, além de uma linha de energéticos que usa a marca Insano. A estância onde a empresa está instalada também está aberta à visitação pública. O CEO da Ouro Fino conta mais sobre o local. // SONORA MARCELO HENRIQUE MARQUES // Em 2013, três amigos que gostavam de fazer cerveja em casa como hobby decidiram deixar de lado os empregos e fazer da paixão por cerveja um verdadeiro negócio. Assim nasceu a We Are Bastards, uma marca artesanal que produzia, até antes da pandemia, cerca de 60 mil litros de cerveja por mês. Richard Buschmann, um dos três sócios, conta que a empresa foi crescendo ao longo dos anos. // SONORA RICHARD BUSCHMANN // Aberto desde o café da manhã até a noite, o bar conceito permite apreciar o processo de fabricação das cervejas. Ao todo, eles empregam cerca de 70 pessoas e a meta é expandir ainda mais os negócios. De acordo com Buschmann, são produzidos cerca de 30 rótulos de cervejas na fábrica, incluindo as sazonais e colaborativas. // SONORA RICHARD BUSCHMANN // A qualidade do produto feito pela marca já recebeu diversos prêmios, nacionais e internacionais, como a medalha de bronze com a cerveja Mark The Shadow, no renomado festival Desafio da Cerveja de Bruxelas, na Bélgica, e a medalha de ouro com a cerveja Jean Le Blanc no Festival Brasileiro de Cerveja de Blumenau, o mais importante prêmio nacional do setor. Segundo Buschmann, o mercado cervejeiro cresceu bastante no Brasil como um todo. // SONORA RICHARD BUSCHMANN // A tendência é confirmada pelo Ministério da Agricultura. De acordo com dados do Anuário da Cerveja, em 2020, foram abertas 174 novas cervejarias no país. Com isso, são 1.383 em todo o Brasil. O Paraná é o quinto estado com mais cervejarias no país. São 146 registros, alta de 30% em relação a 2019. Quando Ezígio Cini chegou ao Paraná e estabeleceu família na Colônia Cecília, em Palmeira, a produção de bebida era apenas para consumo próprio. Eles faziam a gengibirra, bebida a base de gengibre, apreciada pelos italianos e descendentes. Em 1904, mudaram para São José dos Pinhais e lá começaram uma fábrica de licores e cervejas. Com a guerra e a dificuldade de conseguir insumos, a Cini passou a investir no mercado de bebidas gaseificadas. No final da década de 20, a empresa se estabeleceu em Curitiba e na capital ficou até 2006, quando retornou à São José dos Pinhais, numa unidade fabril bem maior. Hoje, na terceira geração à frente dos negócios, a Cini emprega cerca de 300 funcionários e produz sucos, chás, energéticos, água e bebidas gaseificadas. Rodrigo Taborda Costa, responsável pelo marketing da empresa, conta que o refrigerante de framboesa é o que mais vende da Cini. // SONORA RODRIGO TABORDA COSTA // Os produtos da marca estão presentes no Paraná e algumas regiões de Santa Catarina e São Paulo. Mas o forte mesmo da empresa é o mercado curitibano e arredores, onde a marca é a vice-líder entre os refrigerantes. Rodrigo Taborda Costa ressalta que, na busca constante de atualização, a empresa investe no nicho de bebidas funcionais. // SONORA RODRIGO TABORDA COSTA // Empresas paranaenses interessadas em participar do programa Feito no Paraná podem se cadastrar em www.feitonoparana.pr.gov.br. (Repórter: Gustavo Vaz)


Recomendar esta página via e-mail: