Outubro Rosa

Rádio - Notícias

08/10/2020

Governador Ratinho Junior sanciona lei que autoriza até 200 colégios cívico-militares no Paraná


O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou, nesta quarta-feira, o projeto de lei que autoriza e regulamenta o funcionamento de colégios cívico-militares no Paraná. Este programa será desenvolvido conforme a disponibilidade orçamentária e financeira, e pode alcançar até 200 unidades no Estado. A iniciativa foi aprovada pela Assembleia Legislativa, e deve contribuir com o processo promovido pelo governo estadual para a contínua melhoria da qualidade da educação no Ensino Fundamental e no Ensino Médio. A meta é aumentar ainda mais os indicadores do Estado no Ideb, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. O governador destacou a evolução já conquistada pelo Estado neste índice, reforçando a importância dos trabalhos da Secretaria da Educação e dos núcleos regionais espalhados pelo Estado.// SONORA RATINHO JUNIOR.// A implantação dos colégios será de escolha livre da comunidade escolar, por meio de consulta pública. As unidades deverão atender municípios com mais de dez mil habitantes e que tenham ao menos duas escolas estaduais na área urbana, além das seguintes características: alto índice de vulnerabilidade social, baixos índices de fluxo e rendimento escolar e que não ofertem ensino noturno. Ratinho Junior afirmou que este é um projeto que vai ajudar a elevar ainda mais o nível da educação no Paraná.// SONORA RATINHO JUNIOR.// Os objetivos detalhados do programa passam pela garantia do cumprimento das diretrizes e metas do Plano Estadual de Educação. Entre eles estão atuação contra a violência; promoção da cultura da paz no ambiente escolar; criação de novas possibilidades de integração da comunidade escolar; garantia da liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; e auxílio no enfrentamento das causas de repetência e abandono escolar. O secretário de Estado da Educação e do Esporte, Renato Feder, afirmou que este programa prevê novas metodologias, novas atividades e complementa as estratégias do Paraná de modernizar a educação pública. Os colégios cívico-militares terão gestão compartilhada. As aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis pelas áreas de infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Haverá um diretor-geral e um diretor-auxiliar civis, além de um diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares, conforme o tamanho da escola. A adoção do modelo proporciona igualdade de oportunidades de acesso, permanência e excelência educacional para os alunos, sendo vedada a seleção de estudantes por meio de teste seletivo de qualquer natureza. O diretor cívico-militar será indicado pela Secretaria da Educação e do Esporte, responsável pela seleção por meio de entrevista e avaliação. Outros detalhes do projeto podem ser conferidos em www.aen.pr.gov.br. (Repórter: Wyllian Soppa)


Recomendar esta página via e-mail: