Porto de Paranaguá embarca carga para indústria de mineração de alto valor agregado

Foram oito volumes, de oito toneladas cada, de equipamentos. Porto paranaense tem operadores altamente qualificados para operar esse tipo de carga especial.
Publicação
25/01/2022 - 12:20
Editoria

A primeira carga de projeto 2022 do berço 215, no cais comercial do Porto de Paranaguá, foi embarcada nesta segunda-feira (24). Foram oito volumes, de oito toneladas cada, de equipamentos para a indústria mineradora. A exportação do segmento de carga geral foi destinada à América Central.

“A carga de projeto é uma carga de alto valor agregado, que vemos muito aqui no Porto de Paranaguá ao longo de todo o ano. Em 2022 não deve ser diferente”, afirma o diretor de operações, Luiz Teixeira da Silva Júnior. Além do berço 215, esse tipo de carga também é embarcado pelos berços 216, 217 e 218. 

“O porto paranaense tem operadores altamente qualificados para operar esse tipo de carga especial, seja destinada para a exportação ou recebida de importação”, explica Teixeira.

As peças industriais, fabricadas em Minas Gerais, foram carregadas no porão de um navio do tipo Roll on-Roll off (cargueiro de grande capacidade que permite que automóveis e outros produtos entrem e saiam do navio pelos seus próprios meios).

Levadas ao interior do navio na carroceria de caminhão, o acesso é feito pela rampa localizada na popa da embarcação. No porto paranaense, operam nesse tipo de navio as empresas do grupo Marcon, Orion e TCP.

OPERAÇÃO – Aldemar Marques Moreira, gerente de operações e de capatazias do grupo Marcon, explica que para essa operação é preciso empilhadeiras de grande porte e operadores habilitados, além do transporte até o navio. O trabalho é feito pelas cooperativas que atuam na faixa primária do Porto de Paranaguá. Todo a movimentação de carga em terra, incluindo carga e descarga, armazenagem e embarque das mercadorias no porto é o chamado de serviço de capatazia.

Os operadores portuários têm departamentos que cuidam exclusivamente dessa função, em parceria com a administração do porto público. A Portos do Paraná disponibiliza área de pátio para armazenagem, além de acesso, limpeza e a segurança da área de cais.

PROJETO – Aldemar Marques Moreira explica que as cargas designadas como "carga de projeto" têm essa nomenclatura por exigirem planejamento mais específico e detalhado para a operação. “Desde a saída da fábrica até a entrega, no destino final, diferente de uma carga movimentada em larga escala”, afirma.

As peças industriais ainda são transportadas em embalagens que seguem um padrão. “A carga de projeto é única e, normalmente, excede as dimensões de um container e precisam de equipamentos especiais para a movimentação”, completa.

GALERIA DE IMAGENS