UEL, UEM, UEPG e Unioeste aparecem entre as melhores universidades do BRICS. Curitiba, 24/11/17. Foto: Divulgação

Universidades estaduais aparecem entre as melhores do BRICS

As Universidades Estaduais de Londrina, Maringá, Ponta Grossa e do Oeste do Paraná estão entre as 200 melhores instituições do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). O levantamento é da Quacquareli Symonds World University, divulgado nesta quinta-feira (23). Foram avaliadas 400 universidades.

A Quacquarelli Symonds é uma editora do Reino Unido, responsável por classificações universitárias anuais. O levantamento envolve indicadores específicos, como docentes com PhD, reputação acadêmica, reputação do empregador, artigos publicados por pesquisadores da instituição, empregabilidade, citações por artigos, professores e estudantes internacionais em programas de graduação e pós-graduação, além de funcionários com graduação e pós-graduação.

“Somamos, ao longo de 2017, excelentes classificações nos rankings internacionais. Os resultados expressivos das nossas instituições de ensino são obtidos graças aos investimentos sistemáticos do Governo e o trabalhado desenvolvido pelos professores e agentes universitários”, afirma o secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes.

POSIÇÕES - A universidade de Londrina (UEL) aparece entre a posição 151ª e 160ª e se mantém como a melhor do Paraná. A instituição também manteve o quinto lugar entre as estaduais brasileiras. No ranking das universidades públicas do Paraná, a UEL é a 2ª, atrás apenas da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

No indicador que avalia a relação entre professor e aluno, a universidade de Ponta Grosa (UEPG) ganhou destaque ocupando o 32º lugar. Já no ranking internacional a instituição ficou entre a posição 191ª e 200ª e entre as estaduais brasileiras aparece como a 9ª melhor.

A Unioeste ganhou 20 posições e agora figura entre as 170 melhores instituições de ensino avaliadas. Na relação de docentes que possuem PhD, a estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) está em 27ª lugar, além de se classificar com a 6ª melhor estadual do Brasil.

Já a Universidade de Maringá (UEM) ficou posicionada como a 7ª melhor universidade estadual do Brasil e se destacou na avaliação de artigos publicados por pesquisadores da instituição. Entre as 61 universidades brasileiras avaliadas (públicas e privadas) a UEL ficou na 22ª posição, a Unioeste em 26ª, a UEM 27ª e a UEPG em 32ª.

OUTROS LEVANTAMENTOS - Em 2018, a Quacquarelli Symonds foi responsável pelo The Top Universities in The World 2017/2018, divulgado no mês de julho e pelo University Rankings: Latin American 2017, publicado em outubro.

Atualmente, os rankings da QS compreendem tanto tabelas classificativas mundiais quanto regionais, que são independentes e diferentes umas das outras.

É uma das três classificações internacionais de universidades mais influentes e amplamente observadas, juntamente com o Times Higher Education World University Rankings e a Classificação Acadêmica das Universidades Mundiais.



Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br
UEL, UEM, UEPG e Unioeste aparecem entre as melhores universidades do BRICS. Curitiba, 24/11/17. Foto: Divulgação
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa