Cooperação internacional apresenta estudos sobre gestão de grandes barragens. Na foto, Equipe de pesquisadores e coordenadores do NoPa: estudos sobre sedimentos em barragens.Curitiba, 30/06/2017.Foto: Divulgação Sanepar

Evento internacional apresenta estudos sobre gestão de grandes barragens

Seis pesquisas sobre a gestão de sedimentos nas represas do Passaúna, Vossoroca e Capivari estão sendo apresentadas nesta sexta-feira (30) no Centro de Tecnologias Sustentáveis da Sanepar (CETS), em Curitiba. O Workshop “Abordagens Inovadoras para a Gestão de Reservatórios” faz parte das atividades do projeto Novas Parcerias (NoPa), uma cooperação investigativa iniciada em 2015 entre instituições brasileiras e alemãs sobre mananciais em grandes reservatórios de água.
"A estimativa de custos com o impacto de sedimentos em represas no mundo, segundo a Revista Science, é de 20 bilhões de dólares ao ano. A boa gestão das represas, portanto, não é apenas um assunto significativo para a questão ambiental, mas também para as questões econômica e social”, explica o professor Tobias Bleninger, coordenador do projeto sobre gestão de reservatórios do NoPa.
Os sedimentos são as partículas sólidas de terra e outras substâncias carregadas pelas chuvas, pelos rios ou pela erosão do solo, que podem assorear as barragens, reduzindo sua vida útil, contribuindo com o efeito estufa ou permitindo o processo de eutrofização das represas, com o aparecimento de algas.
Utilizando mapas com as barragens existentes e as projeções para o futuro das novas construções no planeta, Bleninger demonstrou a importância dos estudos sobre a gestão de barragens, especialmente quanto aos sedimentos nas represas, que estão relacionados à redução de impactos ambientais e à otimização de seu uso. Segundo o coordenador, o workshop marca o término do Programa NoPa, com a apresentação dos resultados das pesquisas realizadas, mas ao mesmo tempo dá início a um novo projeto de pesquisa internacional de grande porte com foco no desenvolvimento e implementação de tecnologias inteligentes. Bleninger é professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), uma das parceiras do trabalho.
Para o diretor de Meio Ambiente da Sanepar, Glauco Requião, que abriu do evento, a parceria com o NoPa foi de extrema importância para a empresa. “A nova fronteira da inovação é a sustentabilidade e aqui estamos tratando disso. Compreender o manejo de sedimentos é um dos elementos fundamentais para o cuidado com as barragens, mas precisamos ir além, pensando sempre na prevenção, mais do que na remediação. A troca de conhecimentos entre os parceiros do NoPa, entre a academia e a Sanepar, é essencial para a solução de problemas que atingem toda a sociedade e nos preocupam, porque, antes de tudo, nos vemos como uma empresa ambiental vocacionada ao saneamento”, disse.
O gerente da área de pesquisas da Sanepar, Gustavo Possetti, explicou o trabalho dos 22 pesquisadores da Companhia. Atualmente, eles estão envolvidos em mais de 100 iniciativas de estudos, voltadas para os temas: água, esgoto e resíduos sólidos. “Nossa busca tanto está na aplicação imediata das soluções que encontramos nas pesquisas quanto na antecipação de tendências. A cooperação com instituições externas para a investigação científica é extremamente importante nesse sentido e nosso trabalho só consegue chegar a esse significativo número de iniciativas porque temos bons parceiros tanto internamente quanto fora da Sanepar”, afirmou. Ele lembrou da ampla rede de parceiros nacionais e internacionais e destacou a GIZ, especialmente nos assuntos ligados ao biogás.
As palestras do Workshop demonstram os resultados das pesquisas realizadas pelos participantes da cooperação, a maioria delas sobre modelagens, medições e mapeamentos em três importantes barragens do Paraná, em diferentes temas como a qualidade da água, sedimentos, gases de efeito estufa, batimetria e modelos de transporte de sedimentos.
NOPA - Da cooperação internacional participam a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Companhia Paranaense de Energia (Copel), Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec), UFPR, Universidade Positivo (UP) e as instituições alemãs: Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT), Innomar Technologie GmbH, e Senect Aquatic Technology GmbH.
O NoPa foi financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação do Ministério da Educação (MEC), Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento da Alemanha (BMZ), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), com apoio da Agência Alemã de Cooperação Internacional GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit).
CONTINUIDADE - Os parceiros participantes do NoPa irão trabalhar, agora, em um novo projeto conjunto, intitulado “Aquisição multidisciplinar de dados para gestão de recursos hídricos”, financiado pelo Ministério de Educação e Pesquisa da Alemanha, dentro do edital de Recursos Hídricos Globais. “Todos parceiros do NoPa farão parte deste projeto juntando ainda o Instituto Águas Paraná e a Emater. É uma consequência direta do NoPa, procurando soluções inovadoras para o grande desafio de falta de dados ambientais para gestão de reservatórios e bacias. Neste contexto, o foco será processar dados de satélites e drones, bem como de drones aquáticos, para automatização do monitoramento e para conseguir aumentar as resoluções espaciais e temporais dos dados”, explicou Bleninger.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br
Cooperação internacional apresenta estudos sobre gestão de grandes barragens. Na foto, Equipe de pesquisadores e coordenadores do NoPa: estudos sobre sedimentos em barragens.Curitiba, 30/06/2017.Foto: Divulgação Sanepar
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa