O governador Beto Richa participa da solenidade de adesão da prefeitura de Curitiba, ao programa Família Paranaense. Participaram do evento: prefeito de Curitiba, Rafael Greca de Macedo, a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, Curitiba, 15-02-17.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

Município de Curitiba adere ao Programa Família Paranaense

O município de Curitiba agora faz parte do Família Paranaense, principal programa do governo estadual voltado para a redução da extrema pobreza do Paraná, desenvolvido em parceria com as prefeituras. O governador Beto Richa participou nesta quarta-feira (15) da solenidade que formalizou a adesão no Salão Brasil da Prefeitura de Curitiba.
O termo foi assinado pelo governador, pela secretária estadual da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, e pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca.
Com a adesão da Capital, chega a 373 o número de municípios que usam a metodologia do programa que inclui criação de comitês municipais e locais e acompanhamento regular das famílias atendidas. O programa, desde 2012, já atendeu mais de 265 mil famílias em situação de risco e vulnerabilidade social em todo o Paraná
“O Família Paranaense é um dos projetos mais bem sucedidos do Governo do Estado. É um dos principais responsáveis pela redução de 57% na extrema pobreza do Paraná”, disse o governador. Richa destacou o compromisso do Estado em contribuir com os projetos da Capital, para que Curitiba volte a ter destaque no cenário nacional. “Somos grandes parceiros na reconstrução da nossa querida capital”, afirmou.
A secretária Fernanda Richa disse que a implantação deste programa na capital paranaense sempre foi um dos objetivos do Governo do Estado, fixada como uma prioridade de gestão desde a sua criação, em 2012, já que o Família Paranaense foi concebido a partir do Família Curitibana, programa municipal implantado na gestão de Fernanda enquanto secretária do município.
“O Família Paranaense ganhou os seus contornos nesta cidade para depois se consolidar como um dos mais consistentes programas de assistência social em execução no País”, afirmou Fernanda Richa. Segundo ela, não havia razão para que Curitiba continuasse de fora de um programa que traz novos horizontes para famílias e pessoas que precisam de uma nova perspectiva em suas vidas.
CURITIBA – O programa será coordenado no município pela Fundação de Ação Social de Curitiba (FAS). A meta é atender 7.200 famílias com acompanhamento personalizado, em quatro anos.
Estes acompanhamentos incluem visitas às famílias atendidas, rastreio das áreas de maior vulnerabilidade e envolverá equipes técnicas de 45 Centros de Referência de Assistência Social (Cras) da cidade, além de outras secretarias municipais.
“O Família Paranaense atua como porta de entrada e porta de saída. Ele dá oportunidade às famílias para saírem da vulnerabilidade social, não é um programa de manutenção da pobreza, ele garante autonomia para as pessoas conduzirem as próprias vidas”, explicou Fernanda.
Para a presidente da FAS, Larissa Tissot, a adesão proporcionará suporte ao resgate social com ações que incluem visitas domiciliares, cadastramento e encaminhamento para o acesso a serviços e benefícios das políticas públicas, como os de assistência social, saúde, educação, saneamento, habitação e emprego.
“Vamos olhar, com sensibilidade, ao que estas pessoas têm direito. É um passo sólido para a construção de uma nova política pública de assistência social para o nosso município”, disse.
O prefeito Rafael Greca, entusiasta da área, comemorou a adesão e lembrou que sua gestão foi responsável pela criação da Fundação de Ação Social, e dos restaurantes populares. “Firmamos mais uma importante aliança com o Governo do Estado. Vamos fazer bem feito para erguer as famílias curitibanas e trazer condições dignas de vida”, afirmou.
CONTINUIDADE – Embora a Prefeitura de Curitiba ainda não fizesse parte do programa Família Paranaense, recebe desde 2011 investimentos constantes do governo estadual para fortalecer o cuidado e atenção às famílias mais vulneráveis.
Foram repassados R$ 91 milhões e, somente para 2017, a previsão de investimento é de R$ 12 milhões. São recursos para o atendimento social de crianças, adolescentes, idosos, pessoas com deficiência, moradores de rua e vítimas de violências, além de projetos desenvolvidos por entidades da sociedade civil.
O governador Beto Richa lembrou que mesmo antes da adesão o Governo do Paraná assiste os curitibanos na faixa da pobreza com o benefício Renda Família Paranaense, complemento ao Bolsa Família destinado às famílias que possuem renda per capita inferior a R$ 95.
“O Paraná elevou a renda per capita das pessoas consideradas na faixa da pobreza e extrema pobreza. Enquanto no país a faixa está em R$85, no Paraná fazemos o possível para que as famílias tenham ao menos R$ 95 por pessoa”, acrescentou o governador.
RECONHECIMENTO - O Governo do Estado já investiu R$ 122,4 milhões em ações do Família Paranaense, incluindo a transferência de renda. Neste período, o programa cresceu e garantiu a melhora em 33% do Índice de Vulnerabilidade Social do estado. O programa foi destaque em conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) no início deste mês e tem sido usado como referência por países da América Latina.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br
O governador Beto Richa participa da solenidade de adesão da prefeitura de Curitiba, ao programa Família Paranaense. Participaram do evento: prefeito de Curitiba, Rafael Greca de Macedo, a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, Curitiba, 15-02-17.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa