A Coamo Agroindustrial Cooperativa investirá nos próximos anos R$ 250 milhões no Porto de Paranaguá. Deste total, R$ 106 milhões serão aplicados até o final de 2017 em melhorias no terminal portuário e nos novos projetos de ampliação da capacidade de movimentação de grãos no Corredor de Exportação. Na foto, Alexandre Cruzes.Paranaguá, 13/12/2016.Foto: Divulgação Coamo Agrindustrial Cooperativa
Foto: IvanBueno Acesse a galeria de fotos

Coamo prevê investimentos de R$ 250 milhões em Paranaguá

A Coamo Agroindustrial Cooperativa investirá nos próximos anos R$ 250 milhões no Porto de Paranaguá. Deste total, R$ 106 milhões serão aplicados até o final de 2017 em melhorias no terminal portuário e nos novos projetos de ampliação da capacidade de movimentação de grãos no Corredor de Exportação.
Em contrapartida, outros R$ 150 milhões serão aportados pela Cooperativa em aumento da capacidade de armazenamento, melhorias na descarga de caminhões, construção de estacionamento e interligação ao corredor de exportação.
MAIS AGILIDADE - O diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, conta que o plano de investimentos privados para os portos do Estado prevê um cenário até 2030. “Estamos planejando nossos portos para o futuro. Isso porque nos próximos 15 anos a demanda de movimentação de cargas no Paraná deverá saltar das atuais 45 milhões de toneladas para 83 milhões de toneladas”, afirma Dividino.
Segundo ele, os investimentos em modernização dos terminais privados, por exemplo, vão refletir diretamente na agilidade dos carregamentos e nos ganhos de produtividade do Porto. “Para que se tenha uma ideia, a criação de uma nova modalidade de carregamento no Porto de Paranaguá, chamada superberço, reduziu em 15 horas o tempo de carregamento de um navio, que geralmente é de 48 horas. Com isso, tivemos um ganho operacional de 31,25%”, mencionou Dividino.
O objetivo desta nova regra operacional é atender a grande demanda de granéis sólidos para carga e descarga no Porto de Paranaguá com maior agilidade nas operações. “Queremos reduzir cada vez mais o tempo de espera para atracação e esta medida só está sendo possível porque, além dos investimentos da Appa em novos equipamentos, os terminais privados também estão fazendo a sua parte”, disse Dividino.
INVESTIMENTOS DA COAMO – A Coamo deverá renovar seus dois contratos de arrendamento no Porto de Paranaguá por mais 25 anos. Conforme prevê a Lei dos Portos, para garantir a renovação antecipada do arrendamento a Cooperativa apresentou um plano de investimentos que contempla R$ 106 milhões em melhorias de infraestrutura nos armazéns e no terminal portuário.
“Os investimentos têm também como objetivo melhorar a velocidade dos equipamentos e criar uma interligação das correias com o corredor de exportação, seguindo o modelo de desenvolvimento e de ganho de produtividade implementado pela Appa com a aquisição de novos equipamentos”, afirmou o gerente da Coamo em Paranaguá, Alexandro Cruzes.
Além da renovação do contrato de arrendamento, a Cooperativa possui contrato de direito de passagem com a Appa, o que permite a interligação de correias transportadoras de grãos direto do armazém da Coamo para o terminal portuário no corredor de exportação (correx).
O gerente da Coamo conta que serão construídos três novos silos verticais para grãos, com capacidade para armazenamento de 26 mil toneladas cada, em área própria da empresa
“Neste projeto, que contempla a construção dos silos e a interligação com o terminal portuário, por meio do contrato de direito de passagem, vamos investir R$ 150 milhões”, relata Alexandro. Os investimentos ampliarão a capacidade de armazenamento da Coamo em 200 mil toneladas.
PÍER EM T - O novo projeto da Coamo, que está em fase de licenciamento ambiental, possibilita ainda a interligação das correias transportadoras da Cooperativa com o novo projeto da Appa do píer em T – obra que vai aumentar a capacidade de embarque dos navios graneleiros no Corredor de Exportação, com a construção de novos berços de atracação em um cais paralelo ao cais acostável existente.
O píer em T terá dois berços externos e outros dois berços internos para acostagem e carregamentos simultâneos de quatro navios graneleiros, interligado ao cais existente através de uma ponte de acesso perpendicular.
“A COAMO acredita que o projeto da Appa do píer em T é muito importante para Paranaguá. É um projeto ousado, inteligente e que cria novos berços para a atracação de navios, melhorando a logística para todos os terminais que atuam em Paranaguá. Isso nos dá uma perspectiva muito grande e incrementos de movimentação que podem chegar a 8 milhões de toneladas”, disse Alexandro.
HISTÓRIA - A Coamo Agroindustrial Cooperativa atua em Paranaguá desde 1990, com o terminal Portuário e a indústria de óleo.
A indústria de óleo agrega valor aos produtos produzidos pelos cooperados da Coamo e produz óleo de soja bruto degomado e farelo de soja. Já o terminal portuário interligado ao Porto Organizado é usado para escoar a produção agrícola dos cooperados e os produtos produzidos pela indústria. A capacidade nominal do terminal é para a movimentação 2,5 milhões a 3 milhões de toneladas ao ano.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br
A Coamo Agroindustrial Cooperativa investirá nos próximos anos R$ 250 milhões no Porto de Paranaguá. Deste total, R$ 106 milhões serão aplicados até o final de 2017 em melhorias no terminal portuário e nos novos projetos de ampliação da capacidade de movimentação de grãos no Corredor de Exportação. Na foto, Alexandre Cruzes.Paranaguá, 13/12/2016.Foto: Divulgação Coamo Agrindustrial Cooperativa
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa