Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Cidade de Diamante do Oeste, Escola Estadual Indígena KUAA MBOÉ da tribo Guarani, Secretaria Ana Seres Trento Comin visita a escola que participa do segundo premio CAF de Gestão Escolar. 24-08-16. Foto: Hedeson Alves/SEED
Foto: HEDESON ALVES Acesse a galeria de fotos

Escola indígena recebe prêmio de gestão escolar

A Escola Estadual Indígena Kuaa Mbo’E, de Diamante do Oeste, é destaque na preservação da cultura guarani e na participação constante da comunidade do dia a dia da escola. Esse empenho e organização rendeu à escola o segundo lugar no Prêmio Gestão CAF entre as escolas pertencentes ao Núcleo de Educação de Toledo. O prêmio valoriza a gestão participativa.
A unidade está localizada na terra indígena Tekoha Anitete e atende 148 alunos das séries iniciais do ensino fundamental da etnia guarani. Além dos professores e funcionários, o colégio conta com a participação integral dos membros da comunidade em todas as atividades financeiras e pedagógicas. Nada é feito na escola sem que cada projeto proposto seja debatido previamente com todas as 76 famílias que vivem na reserva.
As reuniões para definir onde e como serão aplicados os recursos públicos que chegam à escola duram em média sete horas. “A gestão na escola indígena é naturalmente democrática porque todas as decisões da própria comunidade são tomadas coletivamente e no caso da nossa escola não seria diferente. Tudo que desenvolvemos envolve professores, funcionários e principalmente os membros da comunidade”, explicou o diretor Jairo Cezar Bertolini.
A escola Kuaa Mbo’E conta com professores e funcionários indígenas e não indígenas. “Com essa integração conseguimos manter vivo um dos principais pilares da cultura indígena, que é a língua”, disse a professora de atividades de turno complementar, Adriana Aparecida Silva.
Adriana coordena o projeto Cultura e Arte há três anos. Todos os dias mais de 30 alunos das séries iniciais do ensino fundamental participam de aulas de artesanato guarani. Durante as atividades os estudantes produzem vasos de cerâmicas, esculturas de argila e madeira, colares, brincos, chocalhos, entre outros. O projeto, além de oferecer atividades extras aos estudantes, também contribui para a perpetuação da cultura da etnia entre os mais novos.
RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA - A cultura guarani está presente em todas as atividades pedagógicas desenvolvidas pela escola. Os estudantes são alfabetizados primeiro na língua materna e em seguida são trabalhados temas culturais com os estudantes durante palestras, ministradas sempre pelos membros mais velhos da comunidade, além de apresentações de danças, músicas e rezas tradicionais.
O cacique João Joetavy Alves é um dos mais ativos nas ações desenvolvidas pela escola. Além de ser o representante da etnia permanentemente dentro da escola, João é responsável pela alfabetização na língua guarani. Segundo ele, a educação indígena é responsabilidade de toda a comunidade. “A educação indígena não é só responsabilidade do Estado, mas de toda a nossa comunidade, pais, alunos, para que alcancemos uma educação de qualidade sem perder a nossa cultura”, ressaltou.
GESTÕES VALORIZADAS – O Prêmio Gestão CAF é uma iniciativa inédita do Estado do Paraná, desenvolvido pela Coordenadoria de Apoio Financeiro à Rede Escolar (CAF) da Secretaria de Estado da Educação. O objetivo é reconhecer as melhores administrações, nas quais a aplicação eficiente dos recursos públicos possibilita o desenvolvimento de projetos pedagógicos.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br
Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Cidade de Diamante do Oeste, Escola Estadual Indígena KUAA MBOÉ da tribo Guarani, Secretaria Ana Seres Trento Comin visita a escola que participa do segundo premio CAF de Gestão Escolar. 24-08-16. Foto: Hedeson Alves/SEED
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa