A Agência de Fomento do Paraná, através do seu programa, Banco Empreendedor Microcrédito, financiou a implantação do Café Cacauteria da empreendedora Priscila Pereira Marques na revendedora de automóveis, Honda Prixx na Av. Mario Tourinho, 1153.Curitiba, 16/04/2015Foto: Ricardo Almeida / ANPr

Pesquisa acadêmica mostra impacto do microcrédito nos municípios paranaenses

Nos municípios onde os empreendedores têm acesso e contratam operações de microcrédito para investir na melhoria de empresas e atividades econômicas, há uma melhoria significativa na atividade econômica medida pelo Produto Interno Bruto (PIB). Para cada 1% adicional no valor médio contratado em operações de microcrédito, houve uma variação média no PIB de 0,32% entre os municípios analisados no estudo.
Este é o principal resultado apontado em uma pesquisa coordenada pela professora doutora Raquel Guimarães, do Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná, que avaliou o impacto do programa de microcrédito da Fomento Paraná sobre o nível de atividade econômica dos municípios paranaenses.
“A literatura econômica mostra que o microcrédito é uma política pública que impacta decisivamente os indicadores de desempenho econômico e, mais ainda, que há externalidades sobre outros indicadores, como redução da pobreza e aumento do bem-estar. Dessa maneira, ele funciona como porta de saída para a pobreza e a miséria. Para o Brasil, poucos estudos revelaram o tamanho do impacto dessas ações sobre a atividade econômica, mas isso se mostrou possível a partir dos dados da Fomento Paraná”, afirma a professora.
RESPONSABILIDADE SOCIAL - Para chegar ao resultado, foi aplicada uma metodologia apoiada em modelos econométricos causais. Avaliou-se em que medida o nível de atividade econômica dos municípios que tiveram pelo menos uma operação de microcrédito entre 2010 e 2013 respondeu aos diferentes volumes contratados em microcrédito. Os municípios foram comparados conforme suas peculiaridades demográficas e socioeconômicas. “O impacto positivo médio para o conjunto de municípios avaliados confirma a potencialidade do microcrédito na indução do desenvolvimento econômico, o que serve como um exemplo de sucesso a ser replicado em outros contextos”, conclui a pesquisadora.
O presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa, afirma que a mensuração do impacto do microcrédito é muito importante, porque atesta a responsabilidade social de uma instituição financeira e seu papel como empresa pública no desenvolvimento econômico e social do estado. “Vamos replicar essa informação a todos nossos parceiros. Os prefeitos e os demais atores sociais precisam perceber a importância de valorizar e potencializar essa ferramenta que é o crédito como meio de impulsionar a geração de riqueza para a sociedade sem incorrer em altos custos para a administração pública”, defende.
ECONOMIA LOCAL - Ainda segundo o presidente da Fomento Paraná, essa é a primeira pesquisa e mostra apenas o resultado da aplicação da estratégia inicial do Governo do Estado para o desenvolvimento da economia local. “Quando o IBGE divulgar os números do PIB dos municípios para os anos de 2014 e 2015, certamente obteremos um impacto ainda maior, que vai consolidar o conceito de que o microcrédito impacta no PIB dos municípios, porque o volume de contratos de microcrédito tem crescido ano a ano”, afirma. “Vamos verificar que esta ação potencializa outras políticas de desenvolvimento adotadas pelo governo Beto Richa, como a atração de investimentos privados, o financiamento aos municípios e os investimentos públicos em melhorias na infraestrutura de estradas, portos, aeroportos e de energia”, conclui.
A pesquisa, que foi objeto de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do estudante do curso de Ciências Econômicas da UFPR Mauro Magalhães Junior — ex-estagiário da Fomento Paraná — está inscrita no Prêmio ABDE-BID de Monografias sobre o Sistema Nacional de Fomento (2016).
Box
Fomento Paraná bate recorde, com 602 contratos em um mês

A Fomento Paraná bateu um recorde próprio em julho no microcrédito. Foram aprovados 602 contratos em um mês, somando R$ 7,2 milhões. No ano o volume de operações de microcrédito soma R$ 29 milhões.
As operações de microcrédito, que representam 85% dos contratos da instituição, atualmente envolvem valores de até R$ 10 mil para pessoa física e até R$ 20 mil para pessoa jurídica. O beneficiário pode pagar o financiamento em até três anos, podendo ter um período de carência.
Desde 2011, as contratações de microcrédito da Fomento Paraná já ultrapassam a marca de R$ 157 milhões. São mais de 18,7 mil financiamentos para empreendedores de micro, pequeno e médio porte, da indústria, do comércio e do setor de serviços, de todas as regiões do estado.
O sucesso do microcrédito deve-se também a uma ampla rede de parcerias formada por prefeituras, federações e associações comerciais e empresariais, secretarias de Estado, cooperativas e sociedades de garantia de crédito, além do SEBRAE-PR, que colocam agentes de crédito à disposição do programa, para atender aos empreendedores, e também atuam na orientação e capacitação dos empreendedores para melhor gerenciar os negócios.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br
A Agência de Fomento do Paraná, através do seu programa, Banco Empreendedor Microcrédito, financiou a implantação do Café Cacauteria da empreendedora Priscila Pereira Marques na revendedora de automóveis, Honda Prixx na Av. Mario Tourinho, 1153.Curitiba, 16/04/2015Foto: Ricardo Almeida / ANPr
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro