Revezamento da tocha olímpica. Curitiba, 14/07/2016. Foto: Pedro Ribas/ANPr

Em Curitiba, 170 pessoas conduzem a Tocha Olímpica

Milhares de pessoas acompanham nesta quinta-feira (14) a passagem da Tocha Olímpica por Curitiba, vinda de São José dos Pinhais na Região Metropolitana. O revezamento do símbolo das Olimpíadas iniciou por volta das 10h30 no Museu Oscar Niemeyer, seguiu pelo Centro Cívico, passando pelo Palácio Iguaçu, Praça Nossa Senhora da Salette e pela prefeitura, indo em direção ao Teatro Guaíra. O percurso na capital paranaense é de 37 quilômetros, até a Pedreira Paulo Leminski, onde acontece a cerimônia de encerramento, às 18h.
Participam do revezamento 170 pessoas, entre atletas, policiais militares, pessoas de destaque na sociedade. O primeiro a conduzir foi o atleta paralímpico curitibano Moisés Batista, que representou a natação brasileira nas Paralimpíadas de Atenas, em 2004, e de Pequim, em 2008. “É um momento de extrema alegria carregar a tocha em uma cidade como Curitiba”, afirmou ele. Atualmente, Moisés faz parte da seleção brasileira de rugby de cadeira de rodas, mas não vai participar dos jogos neste ano. “Estarei no Rio este ano como torcedor, prestigiando meus colegas e meus amigos”, disse o atleta.
Entre os condutores dos primeiros quilômetros também estava o servidor da Secretaria da Saúde Irajá de Brito Vaz, que recebeu a chama olímpica na Avenida Cândido de Abreu, no Centro Cívico.
Chefe do Centro de Estudos de Extensão e Pesquisa do Centro Hospitalar de Reabilitação, Irajá foi atleta de ponta da natação e representou o Brasil nas Paralimpíadas de Sidney, em 2000, e de Atenas, em 2004. “A emoção de carregar a Tocha Olímpica é indescritível. Participei de várias competições internacionais, duas paralimpíadas e este foi mais um momento marcante”, disse ele. “É um símbolo que representa as boas novas, os desafios dos atletas e, principalmente, a integração dos povos por meio do esporte.”
PARTICIPAÇÃO – O secretário de Estado do Esporte e Turismo, Douglas Fabrício, acompanhou a saída do fogo olímpico de São José dos Pinhais e afirmou que a passagem da tocha é um momento histórico para todos os municípios paranaenses que receberam o símbolo dos Jogos 2016. “A passagem da Tocha Olímpica por 22 municípios do Paraná simboliza também uma homenagem aos nossos atletas que participarão dos Jogos. É um marco histórico para nossos atletas e para todos os paranaenses que gostam de esportes”, disse o secretário. “Uma festa muito bonita, uma motivação muito grande de pessoas de todas as idades, especialmente das crianças, por poderem participar deste momento.”
Luciane Hinu levou a filha Yasmin (9) e André Carlet levou a pequena Laura (5) para acompanhar a saída da Tocha Olímpica do Museu Oscar Niemeyer. “Minha filha estava muito animada para ver a tocha, chamou várias pessoas. É o momento de prestigiar as Olimpíadas e todo este movimento que tanto agrega ao País”, disse Luciane. “É um evento que mobiliza o mundo inteiro e que a gente tem que prestigiar. Trouxe minha filha para acompanhar este momento”, contou André.
BALÉ OLIMPO – O fogo símbolo das Olimpíadas passou em frente ao Teatro Guaíra, que preparou uma apresentação especial para receber o público e os atletas. Os alunos da Escola de Dança Teatro Guaíra se apresentaram em um palco armado na Rua XV de Novembro, ao lado do teatro, alguns trechos da coreografia Olimpo, montada no fim do ano passado para homenagear os Jogos Olímpicos. Foram apresentadas as coreografias Nado Sincronizado, A Bola em Jogo, Ginástica Rítmica e No Tatame e O Espírito Olímpico está no Ar.
O espetáculo passeia pela Grécia antiga, berço dos Jogos Olímpicos, com seus deuses e mitologia; pela França, onde os Jogos Olímpicos Modernos foram criados por Pierre de Coubertin para, então, chegar ao Brasil para o Rio 2016. A coreografia foi apresentada no último domingo (10) no Parque Estadual de Vila Velha, que também receberá a Tocha Olímpica na sexta-feira (15).
OUTRAS CIDADES – Na sexta-feira (15), a Tocha Olímpica segue para Fazenda Rio Grande, Araucária, Campo Largo e Ponta Grossa e finaliza sua passagem pelo Paraná na cidade de Castro no sábado (16), para seguir então para o município de Itararé, em São Paulo.
O fogo olímpico iniciou seu percurso no Brasil no mês de maio, em Brasília. Mais de 300 cidades dos 27 estados brasileiros participam do revezamento, que segue até o acendimento da pira na cerimonia de abertura do Jogos Olímpicos, que ocorrerá em agosto, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Na rota, que é ser traçada durante todo o percurso com o símbolo olímpico, há um total de 20 mil quilômetros percorridos em terra e 10 mil milhas aéreas.
No Paraná, o símbolo das Olimpíadas já passou por Londrina, Arapongas, Maringá, Campo Mourão, Cascavel, Matelândia, Medianeira, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha do Itaipu, Foz do Iguaçu, Céu Azul, Santa Tereza do Oeste, Realeza, Francisco Beltrão e Pato Branco.
SEGURANÇA – A Polícia Militar do Paraná montou um esquema de segurança por todo o trajeto da Tocha Olímpica no Paraná. Para garantir a segurança dos condutores e dos demais participantes do evento, a PM preparou um grande esquema de segurança, que envolve diversas unidades e forças especiais. A corporação também colocou à disposição um de seus equipamentos mais modernos: o imageador aéreo do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA). O dispositivo, acoplado a um helicóptero, transmitirá imagens ao vivo do deslocamento da tocha para o Centro Integrado de Comando e Controle, fornecendo informações estratégicas às forças de segurança envolvidas na operação.
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr
Revezamento da tocha olímpica. Curitiba, 14/07/2016. Foto: Pedro Ribas/ANPr
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa