Os paranaenses não têm motivos para descartar pneus irregularmente no meio ambiente. O Governo do Estado tem desde 2012 um termo de compromisso assinado com o setor produtivo onde fabricantes e importadores de pneus são responsáveis pela coleta e destinação final dos produtos inservíveis. Curitiba, 03/03/2016.Foto: Divulgação SEMA

Em quatro anos, Paraná recolhe 265 mil toneladas de pneus velhos

Os paranaenses não têm motivos para descartar pneus irregularmente no meio ambiente. O Governo do Estado tem desde 2012 um termo de compromisso assinado com o setor produtivo onde fabricantes e importadores de pneus são responsáveis pela coleta e destinação final dos produtos inservíveis.
Desde que foi assinado o compromisso com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, mais de 265 mil toneladas de pneus sem condições de uso foram retirados de circulação de todo o território paranaense. Uma média de 60 mil toneladas por ano.
O material é levado para produção de asfalto com borracha e como combustível em fornos de indústrias de cimento que têm licenciamento ambiental para esse tipo de atividade. O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) é responsável pelo licenciamento ambiental do coprocessamento do pneu e pela fiscalização.
O coordenador de Resíduos Sólidos da Secretaria, Vinício Bruni, alerta que para o pneu inservível chegar ao destino final corretamente o consumidor precisa colaborar, entregando o material no comércio onde foi adquirido o produto. “A obrigação é compartilhada entre consumidores, lojas, fabricantes e prefeituras. E o Estado acompanha e fiscaliza”, disse Bruni.
Depois da entrega pelos consumidores, as lojas devem levar até um ponto de coleta mantido pela Reciclanip ou da Associação dos Importadores de Pneus. O local deve estar adequado às normas sanitárias e ambientais. As duas instituições são responsáveis por organizar a coleta e destinação final de seus produtos vendidos aos consumidores. “Quando chega a uma quantidade adequada para o transporte, é feito o transporte, também pelos fabricantes e importadores dos pneus até o destino final”, explicou Bruni.
No Paraná o setor possui pontos de coleta distribuídos em 91 municípios em várias regiões do Estado e mantém transportadores conveniados para a retirada do material; normalmente a solicitação de transporte é feita pelo técnico da prefeitura local.
Os pneus inservíveis descartados de forma errada poluem o meio ambiente, danificam galerias pluviais, provocando enchentes. Quando ficam em local aberto podem ser foco para proliferação do mosquito da dengue. A queima do pneu a céu aberto é proibida e gera gases tóxicos agressivos, o que pode acarretar em multas.
Antes de 2012 o recolhimento de pneus já acontecia no Paraná por força da Resolução nº 258 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que obriga os fabricantes e importadores de pneus a recolherem os produtos usados. Para cada quatro pneus novos fabricados no país ou importados, cinco inservíveis devem ser recolhidos e destinados. Para cada três reformados que forem importados, deve-se coletar e dar fim a quatro inservíveis.
No entanto, a coleta saltou consideravelmente após o termo de compromisso com o Governo do Paraná. De 60 mil toneladas de pneus recolhidos no Paraná em 2011 para quase 70 mil toneladas em 2015. O número de pontos de coleta também subiu de 86 para 91, no mesmo período.
Pneus recolhidos:
2012: 59 mil ton
2013: 73 mil ton
2014: 67 mil ton
2015: 66 mil ton
Saiba mais sobre o trabalho do governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br
Os paranaenses não têm motivos para descartar pneus irregularmente no meio ambiente. O Governo do Estado tem desde 2012 um termo de compromisso assinado com o setor produtivo onde fabricantes e importadores de pneus são responsáveis pela coleta e destinação final dos produtos inservíveis. Curitiba, 03/03/2016.Foto: Divulgação SEMA
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa