Oeste lidera geração de empregos no Estado primeiro semestre.
Foto: Arquivo ANPr

Oeste lidera geração de empregos no Estado no primeiro semestre

A região Oeste liderou a criação de empregos no Estado no primeiro semestre deste ano. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, a região criou 6.696 vagas de emprego com carteira assinada de janeiro a junho, o que representa 31,73% do saldo positivo registrado em todo o Paraná.
O setor frigorífico foi o que mais admitiu trabalhadores no período. Além dele, é preciso considerar a importância turística dos municípios que compõem a região para o desenvolvimento do Estado. É o que afirma o responsável pelo Observatório do Trabalho da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, o economista Juliano Padilha. “Foz do Iguaçu, especialmente, é um dos destinos mais procurados pelos estrangeiros que visitam o Brasil”, ressalta Padilha.
A região Oeste ocupa o terceiro lugar no ranking estadual de contratação de trabalhadores dos setores ligados ao turismo. No primeiro semestre, 5.471 pessoas conseguiram uma vaga de emprego formal na região. A primeira colocação fica por conta da Região Metropolitana de Curitiba, com 21.463 contratações, seguida da região norte-central, com 7.903.
“Vale lembrar que o setor turístico impulsiona todo o comércio de uma região, o que contribui para a geração de mais emprego e renda para a população”, lembra o economista.
LIDERANÇAS - Padilha destaca, ainda que de janeiro a junho deste ano, a região Oeste foi a que mais criou empregos no setor de comércio, com um saldo positivo de 238 postos.
O setor frigorífico foi o que mais admitiu trabalhadores. Foram 11.931 trabalhadores, respondendo por 13% dos contratados em toda a região que abrange os municípios do entorno de Foz do Iguaçu, Toledo e Cascavel. Se for considerado o número de admitidos e demitidos, a indústria de carnes registrou um saldo positivo de 2.613 postos de trabalho.
CONCENTRAÇÃO – A região Oeste concentra 42% do estoque de empregos formais do setor frigorífico no Paraná, resultado do grande número de empresas instaladas nos municípios. A segunda colocada no ranking é a região norte-central, que registra 21% dos empregos do setor. A indústria de carnes inclui o abate de reses, suínos, aves e pequenos animais e a produção de pescados que também ocupa lugar de destaque na região.
Toledo e Cascavel são os municípios que concentram o maior número de trabalhadores em frigoríficos. Juntos eles respondem por 17% da mão de obra empregada nas empresas do setor no Paraná. Em seguida, vem Cafelândia, Matelândia, Medianeira e Palotina.
O estudo feito pelo Observatório do Trabalho mostra ainda que de 2010 a 2013, a região Oeste foi a que registrou o maior aumento do número de empregados formais em frigoríficos. No período, 3.850 trabalhadores foram contratados pelas empresas do setor.
Padilha explica que a região Oeste concentra a maior parte das empresas frigoríficas do Estado em função da existência de grandes produtores na região. “Essa proximidade com os criadores diminui o custo do transporte dos animais”, diz.
O último Caged, divulgado em junho, mostra que 29% dos empregos formais no setor agropecuário de criação de animais estão na região Oeste.
PESCADOS – A região Oeste também registra crescimento significativo na geração de empregos formais na área de produção de pescados. Em 2010, o setor gerou 196 postos de trabalho, número que saltou para 752, em 2013. Um total de 89% dos empregos da indústria de pescados concentram-se em Nova Aurora (53,34%) e Toledo (35,40%).

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br
Oeste lidera geração de empregos no Estado primeiro semestre.
Foto: Arquivo ANPr
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:

CAPTCHA imageRecarregar CAPTCHA
Encontrou algum erro