Vacinação.
Foto: Divulgação
Foto: Joel_Rocha Acesse a galeria de fotos

Paraná bate meta, mas vacinação contra a gripe continua até sexta-feira

O Paraná atingiu nesta segunda-feira (1º) a meta de imunizar 80% do público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe, iniciada em 22 de abril. Cerca de 2,2 milhões paranaenses já receberam a dose que protege contra os três tipos de vírus da gripe mais circulantes no país: Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B.
Até agora, 247 municípios paranaenses também já bateram a meta estipulada pelo Ministério da Saúde. Assim como em anos anteriores, o Paraná foi um dos primeiros Estados a atingir o índice, que serve de parâmetro para avaliar a eficácia da estratégia de vacinação em todo o País.
Apesar do bom desempenho, o Governo do Paraná recomenda que todos os municípios deem continuidade à campanha até a próxima sexta-feira (5). Mais de 400 mil pessoas com direito à vacina ainda não foram imunizadas. “Nosso objetivo é vacinar 100% dos grupos prioritários, garantindo que mais pessoas sejam protegidas. Desta forma, reduziremos significativamente o número de casos graves e mortes pela doença no Estado”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.
Até o final desta semana, os mais de 2,5 mil postos de saúde do Paraná continuarão ofertando gratuitamente a vacina, em horário comercial, aos idosos (+ 60 anos), crianças entre seis meses e cinco anos incompletos, gestantes, puérperas (mães com até 45 dias após o parto), profissionais de saúde e portadores de doenças crônicas.
De acordo com o coordenador estadual de Imunização, João Luis Crivellaro, o que mais preocupa são os índices de gestantes (64%), trabalhadores de saúde (72%) e crianças (72%) vacinadas, que estão aquém do esperado. “É importante que as equipes de saúde intensifiquem o trabalho de conscientização destes grupos. A vacina é extremamente segura e eficaz para a proteção dessas pessoas, consideradas mais vulneráveis”, ressaltou.
O alerta serve também para os doentes crônicos. O ideal é que eles procurem a unidade de saúde em que já estão cadastrados e solicitem a vacina o quanto antes. “Após aplicação da vacina o organismo leva em torno de 15 dias para dar resposta de proteção. Por isso, quanto mais cedo for a aplicação, menor é o tempo de exposição ao vírus”, reforçou Crivellaro.
NÚMEROS – De janeiro a maio deste ano, o Paraná já identificou 101 casos e quatro mortes por gripe, segundo o monitoramento realizado pela Secretaria Estadual da Saúde. Os números dizem respeito às amostras positivas coletadas em pacientes atendidos nas 50 unidades sentinelas do Estado, o que inclui unidades de saúde e hospitais de pequeno e grande porte de 18 cidades paranaenses.
Entre as mortes registradas por gripe, as vítimas tinham idade entre 59 e 76 anos e não haviam tomado a vacina. Duas delas apresentavam também doenças crônicas pré-existentes, o que pode ter contribuído para a morte.
PREVENÇÃO – Além da vacina, existem outras formas de prevenir a doença. Com a chegada das baixas temperaturas, é essencial que as pessoas mantenham hábitos saudáveis e de higiene. “Manter ambientes arejados, lavar constantemente as mãos, não tocar olhos e nariz depois de tossir e espirrar, ou depois de tocar em superfícies contaminadas, são algumas medidas simples que podem evitar que as pessoas adoeçam, não apenas de gripe, mas também de outras doenças”, informa a chefe do Centro Estadual de Epidemiologia, Cleide Oliveira.
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br
Vacinação.
Foto: Divulgação
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa