Farmácia do Paraná capacita Estado a receber projeto do Ministério da Saúde.

“Farmácia do Paraná” capacita Estado a receber projeto do Ministério da Saúde

Os avanços conquistados pelo programa Farmácia do Paraná, criado em 2011, foram determinantes para que a Secretaria Estadual da Saúde fosse convidada pelo Ministério da Saúde para desenvolver um piloto do projeto de Cuidado Farmacêutico. O projeto é voltado ao atendimento a pacientes que recebem medicamentos de uso contínuo e alto custo (Componente Especializado da Assistência Farmacêutica – CEAF).
O secretário estadual da Saúde, afirmou que um dos diferenciais do programa Farmácia do Paraná é, exatamente, a assistência aos usuários feita por profissionais da área. “Isso motivou a contratação de 65 servidores farmacêuticos, entre 2011 e 2014, e a reestruturação das farmácias estaduais, inclusive com a inclusão dos consultórios farmacêuticos” explicou Caputo.
Essa retaguarda profissional e estrutural, ressalta o secretário, foi determinante para que o Paraná fosse convidado para ser piloto do projeto que será replicado nos demais estados.
CLÍNICA FARMACÊUTICA - O projeto consiste em implantar nas farmácias públicas o serviço de clínica farmacêutica. Nesse serviço, que se dá por meio de consultas farmacêuticas, o usuário é informado e orientado sobre o seu tratamento, o uso correto dos medicamentos, possíveis efeitos indesejáveis, entre outros cuidados. O serviço prevê, ainda, a avaliação do resultado do uso dos medicamentos e o encaminhamento dos usuários a outros serviços, quando necessário.
Inicialmente, o Ministério da Saúde desenvolveu um piloto do projeto de Cuidado Farmacêutico em Unidades Básicas de Saúde de Curitiba. A partir de agora, será ampliado para outros pontos de atenção, incluindo a farmácia do Estado, em Curitiba, que faz a dispensação de medicamentos para doenças como artrite reumatóide, asma grave, hepatites, esclerose múltipla, entre outras.
PARANÁ CAPACITADO - O diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde, José Miguel do Nascimento Júnior, explica que o projeto, financiado pelo Banco Mundial, foi iniciado em Curitiba, com a Unidade Básica de Saúde (UBS). Agora será estendido à rede Farmácias do Paraná, com o acompanhamento de pessoas que recebem medicamentos de uso contínuo nas UBS.
“A ampliação do projeto para o componente especializado precisa que o Estado tenha condições materiais e profissionais para sua implantação e o Paraná dispõe dos elementos necessários”, comenta. Segundo ele, a principal característica do projeto é a mudança no processo de trabalho, que está baseado na interação entre equipe da assistência farmacêutica e o paciente.
A parceria com o Ministério da Saúde não envolve financiamento, mas assessoria técnica para que as equipes estaduais envolvidas possam desenvolver essa nova sistemática de cuidado, de modo a acompanhar os pacientes com uma atenção diferenciada. Os profissionais que participam do piloto também terão a função de ajudar a formatar o sistema de informação do Cuidado Farmacêutico e validar o novo processo.
FARMÁCIA DO PARANÁ – Em 2011, o Governo do Paraná iniciou a reestruturação faz farmácias das 22 Regionais de Saúde com o objetivo de melhorar o atendimento à população. Onze unidades já contam com ambientes reformulados para garantir mais conforto aos usuários, inclusive com salas para atendimento farmacêutico.
Foram investidos R$ 2,1 milhões nessas unidades, o que envolve obras, aquisição de mobiliário, equipamentos e câmaras frias para equipar tanto as farmácias e os almoxarifados das regionais quanto o Centro de Medicamentos do Paraná, em Curitiba.
Atualmente, mais de 130 mil paranaenses recebem medicamentos nas farmácias estaduais. “O acesso da população à medicamentos seguros e eficazes depende de uma assistência farmacêutica forte, por isso o programa Farmácia do Paraná desenvolve ações dirigidas tanto à assistência básica quanto à especializada e esse projeto está sendo levado a todas as regiões do estado”, diz a coordenadora do Departamento de Assistência Farmacêutica, Deise Pontarolli.
Para ela, a participação do Estado no projeto de Cuidado Farmacêutico irá fortalecer ainda mais a assistência ao usuário do Farmácia do Paraná e atender uma reivindicação antiga da categoria. “O profissional da área deixa de ser apenas aquele que entrega o medicamento para ser uma referência em atenção à saúde, tanto para o paciente quanto para sua família”, diz Deise.
O presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná, Arnaldo Zubioli, diz que os farmacêuticos têm muito a oferecer à população que faz uso crônico de medicamentos. “Atualmente existe grande desperdício de recursos porque muitos pacientes recebem medicamentos e não obtêm controle da doença”.
Segundo Zubioli, o acompanhamento realizado pelos farmacêuticos colabora para que os tratamentos sejam mais efetivos e seguros, com melhora significativa para a qualidade de vida das pessoas.
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr
Farmácia do Paraná capacita Estado a receber projeto do Ministério da Saúde.
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:

CAPTCHA imageRecarregar CAPTCHA
Encontrou algum erro
Paraná informa