Infraestrutura e Logistica

Corredor de Exportação fecha agosto com melhor resultado do ano

Publicado em 07/09/2012 08:00
A movimentação de granéis pelo Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá cresceu 12,59% nos primeiros oito meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2011. Balanço divulgado nesta quarta-feira (5) pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) indica que foram exportadas de janeiro a agosto 11,4 milhões de toneladas. Em agosto, o volume de grãos exportado pelo complexo foi 16,65% maior que o registrado no mesmo mês de 2011, o que representa um acréscimo de 1,7 milhão de toneladas.

Pelo Corredor, o Porto de Paranaguá exporta principalmente soja, milho e farelo. Dos três granéis, o milho é o que apresenta maior crescimento. Considerando apenas o mês de agosto, o volume exportado da commodity mais que dobrou. Em 2011, foram pouco mais de 367 mil toneladas de milho exportadas. Em agosto deste ano, 734,5 mil. No acumulado de 2012, o volume total de milho escoado por Paranaguá foi de quase 1,4 milhão de toneladas – 26,29% a mais que no mesmo período no ano passado.

“Estamos trabalhando intensamente junto aos intervenientes privados no sentido de sincronizar as operações para dar conta da super safrinha de milho”, afirma o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

SOJA – De janeiro a agosto deste ano, o volume de soja exportado passou de 6 milhões de toneladas, superando em 15,12% o registrado nos primeiros oito meses de 2011.

Em relação ao farelo de soja, o aumento registrado foi de 13,53%. Nos oito primeiros meses deste ano, foram exportados por Paranaguá mais de 3,5 milhões de toneladas do produto. Em 2011, o volume foi de 3,1 milhões.

Buscar alternativas técnicas para atender os agricultores neste momento de recordes de produtividade e melhores resultados no campo é uma determinação do governador Beto Richa. “Mesmo com todas as dificuldades de um porto que não recebeu investimentos nos últimos anos, estamos conseguindo atender nossos clientes em um contexto de melhor preço dos últimos anos, melhor paridade do dólar dos últimos dez anos, produtividade histórica da safrinha”, disse Dividino. “Não vamos medir esforços para continuar atendendo as necessidades de escoamento de carga e realizar os investimentos necessários para que o campo continue batendo recordes de produção e possa contar com um porto em condições de atender as operações além mar.”

OUTROS PRODUTOS – Seguindo a sazonalidade e o resultado das safras, açúcar e trigo também são exportados pelo Corredor de Exportação. Os terminais – já desabastecidos de soja e farelo – dão espaço a esses outros dois produtos.

Em relação ao trigo, em 2011 houve embarque nos meses de janeiro, fevereiro, março e junho, somando mais de 559 mil toneladas do produto. Este ano, o trigo foi embarcado pelo Corredor nos meses de janeiro, fevereiro, março, abril e junho, mas em menor volume: apenas 434 mil toneladas, ou seja, 22,35% a menos que no ano passado.

Quanto ao açúcar – cujo embarque também é realizado por outros berços – em janeiro de 2011 foram embarcadas quase 103 mil toneladas pelo Corredor. Este ano, ainda não houve embarque do produto pelo complexo.

COREX – O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá é o conjunto de dois terminais públicos e sete privados, com silos horizontais e verticais – com capacidade estática de quase um milhão de toneladas – interligados a seis shiploaders que operam exclusivamente grãos para exportação, nos berços 212, 213 e 214. É o único, deste porte, no Brasil.

Áudio

Recomendar esta notícia via e-mail: