É de pequenino que se torce o pepino. A frase é um chavão e os alunos nem são tão crianças assim. Com idades entre 11 e 12 anos, cerca de 400 alunos da Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, de Curitiba, aprenderam de forma lúdica sobre a função social dos impostos e por que eles são importantes no exercício da cidadania..Foto Gilson Abreu/AEN

Educação fiscal ensina crianças sobre a importância do imposto

É de pequenino que se torce o pepino. A frase é um chavão e os alunos nem são tão crianças assim. Com idades entre 11 e 12 anos, cerca de 400 alunos da Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, de Curitiba, aprenderam de forma lúdica sobre a função social dos impostos e por que eles são importantes no exercício da cidadania.

Numa série de atividades que incluiu palestras, os alunos foram incentivados a fazer pesquisas, discutiram o conceito de cidadania e conversaram até sobre a presença do Estado na vida do cidadão no dia a dia, com a escola, o hospital, o posto de saúde, o transporte e tantas coisas mais.

E terminaram as 40 horas de treinamento da forma mais agradável possível, com teatro de fantoches, banda de música tocando rock e fazendo compras na “Vendinha do Fisco”, onde exercitaram os conceitos de cidadania que aprenderam, fazendo compras sem esquecer de pedir nota fiscal.

“O treinamento de educação fiscal é um compromisso do Estado”, diz a auditora fiscal Sandra Regina Alves, coordenadora regional da atividade desenvolvida pela Escola Fazendária do Paraná, ligada à Secretaria de Estado da Fazenda.

A Escola Fazendária, dirigida pelo auditor Mário Brito, fomenta ações de educação fiscal em todo o Estado e promove inúmeros cursos e treinamentos aos servidores da Secretaria da Fazenda.

Sandra Regina conta que na conversa com os alunos fala “sobre os impostos, que eles ouvem falar em casa, e explicamos que é isso que permite que eles tenham escola, merenda e tantas outras coisas”.

PILARES – A organizadora da atividade na escola, a professora de Língua Portuguesa, Edilmara Silva, é uma entusiasta do tema. Conta que trabalha a educação fiscal com base em três pilares: responsabilidade, honestidade e transparência no uso do dinheiro público. Segundo ela, alguns alunos ficaram tão interessados que trouxeram, espontaneamente, pesquisas feitas em casa sobre o assunto.

Na fila da “Lojinha do Fisco”, Kauane, de 11 anos, por exemplo, diz que nunca mais vai deixar que a mãe esqueça de pedir nota fiscal. Por que? “Assim tem mais impostos pra cuidar de quem precisa”, afirma.

João, 12 anos, concorda com a colega e diz que o pai sempre fala que está cansado de ouvir notícias de corrupção. Por isso acredita que sua geração vai ter de trabalhar muito para mudar o que ele ouve tanto falar.

BANNER – Na palestra, a representante da Escola Fazendária explica que o imposto é uma ferramenta que promove a igualdade social. Para ilustrar, usa um banner em que mostra a presença do Estado no hospital, desde o nascimento da criança; os policiais que fazem a segurança, a escola e a universidade; postos de trabalho e locais de lazer, e como isso tudo beneficia também empresas e permite a formação de renda.



Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br
É de pequenino que se torce o pepino. A frase é um chavão e os alunos nem são tão crianças assim. Com idades entre 11 e 12 anos, cerca de 400 alunos da Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, de Curitiba, aprenderam de forma lúdica sobre a função social dos impostos e por que eles são importantes no exercício da cidadania..Foto Gilson Abreu/AEN
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro