Cerca de 20 presos da Cadeia Pública de Toledo, inscritos no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), participaram segunda-feira (09) do primeiro dos quatro aulões preparatórios oferecidos por um projeto de extensão da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Em todas as unidades prisionais do Estado, mais de 5 mil detentos se inscreveram para fazer a prova. Foto: Divulgação/SESP

Presos de Toledo participam de aulões para prova do Encceja

Cerca de 20 presos da Cadeia Pública de Toledo, inscritos no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), participaram segunda-feira (09) do primeiro dos quatro aulões preparatórios oferecidos por um projeto de extensão da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Em todas as unidades prisionais do Estado, mais de 5 mil detentos se inscreveram para fazer a prova.

“O único caminho para que o sistema penitenciário possa ajudar o preso na sua reinserção social é através da oferta de tratamento penal pleno e a educação e o trabalho são base para este processo. O Encceja vem fortalecer o trabalho de educação nos presídios”, destacou o diretor-adjunto do Depen, Thorstein Ferraz.
Viabilizado por meio do Escritório Social de Cascavel, o projeto denominado “Superação: Um novo começo pela educação” prevê a realização de quatro dias de aula com as disciplinas básicas que são exigidas no teste, para ajudar na aprovação dos presos. O primeiro aulão foi um bate-papo focado na apresentação do teste aos detentos. Os próximos aulões acontecerão nos dias 23 e 30/09.

“Trata-se de um piloto com a tentativa da reinserção social, baseada no fundamento da educação. Tendo resultados satisfatórios, já pensamos em expandir os trabalhos para outras unidades e, quem sabe, até com curso pré-vestibular”, explica o biólogo e um dos idealizadores do projeto, Renan Marques.

A unidade de Toledo foi escolhida por conta do perfil dos detentos ali instalados, uma vez que são pessoas que cometeram crimes contra a dignidade sexual. “Os agentes penitenciários que atuam no local serão responsáveis em acompanhar as equipes da Unioeste para que os trabalhos ocorram com o máximo de aproveitamento”, explica o coordenador regional do Depen, Thiago Correia.

ENCCEJA - O Exame é aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para aferir competências, habilidades e saberes de jovens e adultos que não concluíram o Ensino Fundamental ou Ensino Médio na idade adequada.

Para as pessoas privadas de liberdade, a prova será aplicada nos dias 08 e 09 de outubro. Ao todo, 5.116 presos farão o teste em todas as unidades penitenciárias do Paraná.

Os presos que não concluíram o ensino fundamental deverão ser aprovados e demonstrar conhecimentos em Ciências Naturais, Matemática, Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação, além de História e Geografia.

As disciplinas para os que querem o certificado do Ensino Médio são Química, Física, Biologia, Matemática, Linguagens e Códigos, História, Geografia, Filosofia e Sociologia, além de Redação, Ciências Humanas e suas Tecnologias.



Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br
Cerca de 20 presos da Cadeia Pública de Toledo, inscritos no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), participaram segunda-feira (09) do primeiro dos quatro aulões preparatórios oferecidos por um projeto de extensão da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Em todas as unidades prisionais do Estado, mais de 5 mil detentos se inscreveram para fazer a prova. Foto: Divulgação/SESP
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa