ato Branco, no Sudoeste do Paraná, é destaque na geração de empregos no Estado. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgado no fim de junho, o município de pouco mais de 80 mil habitantes fechou os primeiros cinco meses de 2019 com 1.894 vagas abertas.Foto: José Fernando Ogura/ANPr

Pato Branco se destaca na geração de empregos no Paraná

Pato Branco, no Sudoeste do Paraná, é destaque na geração de empregos no Estado. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgado no fim de junho, o município de pouco mais de 80 mil habitantes fechou os primeiros cinco meses de 2019 com 1.894 vagas abertas.

É uma espécie de intruso no top 5 paranaense em geração de empregos, composto basicamente pelas cidades mais populosas do Estado – Curitiba (1.038 postos de trabalho), Maringá (3.955), Cascavel (2.072) e São José dos Pinhais (1.478) completam o grupo.

Ainda de acordo com o Caged, em Pato Branco, em 2019, os setores que mais se destacaram na criação de postos de trabalho foram a construção civil, indústria de transformação e toda cadeia produtiva ligada à indústria frigorífica e de fogões do município.

Economista do Departamento do Trabalho da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Suelen Glinski explica que há mais motivos para se comemorar o resultado de Pato Branco. O município se mantém desde 2016 entre os principais polos geradores de emprego do Estado, mesmo com os indicadores mostrando que com o início da recuperação da economia no País, os grandes centros urbanos voltaram a ser os principais puxadores de emprego.

Em 2017, por exemplo, a cidade do Sudoeste foi quem mais abriu vagas no Paraná com 2.119 postos. “A geração de empregos formais em 2016 e 2017 se manteve nos municípios menores do Estado em função da crise nacional que afetou as grandes cidades do País”, afirmou a economista.

“Em 2018, os municípios passam a apresentar saldos positivos maiores de empregos formais, o que já demonstra a recuperação da economia do Estado, em especial nos grandes centros urbanos”, completou.

AEROPORTO – Secretário de Desenvolvimento Econômico de Pato Branco, Osmar Braun Sobrinho relaciona ainda um outro fator ao bom rendimento: o novo aeroporto da cidade, inaugurado em janeiro deste ano.

O Aeroporto Municipal Juvenal Loureiro Cardoso conta desde o começo de 2019 com voos regulares para Curitiba, com capacidade para até 70 passageiros, todas às quintas-feiras.

É a primeira ligação direta de avião entre o Sudoeste do Paraná e a capital paranaense. O aeroporto mais próximo era o de Chapecó (SC), a 120 quilômetros de distância de Pato Branco. O de Foz do Iguaçu está a cerca de 300 quilômetros.

“O Sudoeste é muito forte e com essa logística muitas indústrias estão vindo conversar para se instalar aqui. O transporte aéreo é um grande vetor de desenvolvimento”, ressaltou o secretário.

A partir de agosto, os voos ligando Curitiba a Pato Branco passam a ser diários, com exceção do sábado, aumentando o otimismo de toda a região.

Outro ponto importante é que o Governo do Estado trabalha também com a concessão de quatro aeroportos (São José dos Pinhais, Curitiba, Londrina e Foz do Iguaçu) pelo Governo Federal, com previsão de aumento da capacidade e do número de voos, beneficiando o interior como um todo. “É uma iniciativa que contribui para o desenvolvimento econômico do Paraná”, afirma o governador Ratinho Junior.

DESENVOLVIDA – Pato Branco é uma das cidades mais desenvolvidas do País. O município ocupa o 4º lugar do Paraná no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), com destaque para a saúde, educação e geração de emprego e renda.

Entre os 5.571 municípios brasileiros, Pato Branco assume a 19ª posição, liderando na região Sudoeste do Paraná, com índice de 0,8737. Divulgado em 2018, o levantamento tem como ano-base 2016. No estudo que possuía como referência o ano de 2013, a cidade ocupava a 51ª posição no ranking nacional.

BOX
Desenvolvimento sustentável e emprego são prioridades no Paraná

No consolidado do ano, o Paraná é o quarto do País que mais contratou, tirando do desemprego 39.737 pessoas. Foi também o único Estado do Sul com índice positivo em maio, já que Santa Catarina perdeu 1.159 vagas e o Rio Grande do Sul 11.207.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior destaca que o governo promove várias ações para atrair novos investimentos para o Paraná, gerando mais oportunidades de emprego e renda. A projeção é a atração de R$ 20 bilhões em empreendimentos até o final deste ano.

“Estamos priorizando aquilo que mais interessa, que é o desenvolvimento sustentável e a geração de emprego e renda no Paraná”, afirma o governador.

O secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, afirma que a pasta tem trabalhado fortemente na melhoria do atendimento nas Agências do Trabalhador de todo o Estado e buscado parcerias com a iniciativa privada para intermediar a contratação quando ocorrer a abertura de novas vagas.

“E também estamos intensificando a qualificação, por meio do projeto Carretas do Conhecimento, que começou nesta semana a percorrer o Paraná, oferecendo cursos profissionalizantes e também uma oportunidade de melhorar a renda”, diz Leprevost.



Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br
ato Branco, no Sudoeste do Paraná, é destaque na geração de empregos no Estado. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgado no fim de junho, o município de pouco mais de 80 mil habitantes fechou os primeiros cinco meses de 2019 com 1.894 vagas abertas.Foto: José Fernando Ogura/ANPr
Acesse a galeria de fotos
Recomendar esta notícia via e-mail:
Encontrou algum erro
Paraná informa