Rádio - Notícias

16/09/2020

Paraná Trifásico alcança 1.200 quilômetros de novas redes


O programa Paraná Trifásico, da Copel e do Governo do Estado, já implementou 1.245 quilômetros de novas redes de energia elétrica no Estado. Esse grande linhão, como está sendo apelidado no Interior, já representa 5% do total de 25 mil quilômetros que serão implementados até 2025. O investimento atingiu a marca de 237 milhões de reais entre janeiro e setembro, ultrapassando o montante planejado inicialmente para este ano, que era de cerca de 210 milhões. A nova rede trifásica está espalhada por todo o Estado e as obras estão gerando cerca de mil empregos diretos e indiretos. Foram concluídos 304 quilômetros no Centro-Sul, 265 no Leste, 228 no Noroeste, 212 na região Norte e 235 quilômetros no Oeste e Sudoeste do Paraná. O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirma que as novas redes já estão transformando a produtividade do agronegócio, já que o modelo trifásico facilita a ampliação das atividades no campo. // SONORA RATINHO JUNIOR // O Paraná Trifásico é uma evolução do Clic Rural, iniciativa que levou energia para mais de 120 mil propriedades rurais nos anos 1980 e se tornou o principal programa de eletrificação rural da época. Toda essa espinha dorsal de distribuição no campo está sendo trifaseada. O programa envolve 2 bilhões e 100 milhões de reais e faz parte do maior pacote de investimentos da história da Copel Distribuição, junto ao Rede Elétrica Inteligente, com aporte de 820 milhões de reais para implementar medidores inteligentes em 4 milhões e 500 mil unidades consumidoras. São quase 3 bilhões de reais programados para modernizar e automatizar a rede, preparando para novos perfis de consumo relacionados às cidades inteligentes, maior autonomia dos usuários e geração sustentável. Na primeira fase serão atendidos 151 municípios, beneficiando aproximadamente 4 milhões e 500 mil paranaenses. O presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero, destacou a busca da companhia pela modernização. // SONORA DANIEL PIMENTEL SLAVIERO // O Paraná Trifásico retira os postes antigos do meio das plantações e coloca postes novos nas estradas rurais, o que facilita o acesso dos técnicos, e disponibiliza cabos mais resistentes contra as ações do tempo. O programa precisou ser dividido em etapas até 2025 porque não havia disponibilidade de material suficiente para instalação a curto prazo dos equipamentos e do cabeamento. Com o trifaseamento também haverá interligação entre as redes. O efeito será a criação de redundância no fornecimento, ou seja, redes que hoje estão próximas, mas não conversam, passarão a ser interligadas. Se a energia falha em uma ponta, a outra a abastece e, em caso de desligamentos, os produtores rurais terão o restabelecimento da energia com mais agilidade. Os novos equipamentos inteligentes também identificam curtos-circuitos mais rapidamente. As linhas também têm conexões inteligentes com monitoramento constante da rede, chamados de religadores automáticos. Esses aparelhos têm capacidade para identificar problemas e “abrem temporariamente” para passagens de eventuais curtos para evitar desligamento da rede, e então religam a energia sem precisar de interferência humana. Os equipamentos podem ser acionados remotamente pelo novo Centro de Operação da Copel em Curitiba. (Repórter: Rodrigo Arend)


Recomendar esta página via e-mail: