Rádio - Notícias

30/07/2020

Nova Cadeia Pública de Ponta Grossa renova sistema carcerário do Paraná


Acabar com o grave problema da superlotação em carceragens de delegacias e realocar os detentos em um espaço estruturado é uma das principais metas do Governo do Estado. Nos Campos Gerais está em construção a Cadeia Pública de Ponta Grossa, obra que integra a reestruturação do sistema carcerário do Paraná. De acordo com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, mais de 10 mil presos estavam em delegacias quando ele assumiu o mandato, em 2019, índice que fazia do Paraná um dos líderes do ranking nacional da categoria. Mas, esse número já foi reduzido pela metade. Atualmente, segundo dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública, cerca de 5 mil pessoas ainda cumprem pena em espaços irregulares, o que inviabiliza o adequado tratamento penal e o trabalho regular da Polícia Civil. Desse total, cerca de 53% são presos provisórios. E a tendência é que a fila possa ser zerada nos próximos anos. A Cadeia Pública de Ponta Grossa, por exemplo, vai, sozinha, disponibilizar 752 vagas. O investimento, entre recursos federais e estaduais, é de 19 milhões e 400 mil reais. O governador Ratinho Junior destaca que os investimentos deverão esvaziar as delegacias.// SONORA RATINHO JUNIOR.// A estrutura em Ponta Grossa vai contar com dez módulos, sendo quatro espaços de convivência coletiva e seis de vivência individual; área destinada para visitas íntimas; local de assistência à saúde; e cobertura para visitantes. A engenheira da Paraná Edificações, responsável pela obra, Franciele Tullio, explicou que a construção vai desafogar as cadeias existentes oferecendo estrutura adequada em um espaço amplo.// SONORA FRANCIELE TULLIO.// Outras três cadeias públicas estão sendo construídas no Paraná seguindo o modelo de Ponta Grossa. São unidades em Guaíra e Foz do Iguaçu, ambas na Região Oeste, e em Londrina, no Norte. Os quatro espaços seguem o mesmo padrão, ofertando 752 vagas cada. Somados, os complexos podem abrigar mais de 3 mil detentos. O secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, lembrou que há mais de dez anos não se construía uma cadeia pública no Paraná e que o intuito dos investimentos é dar equilíbrio ao sistema penitenciário.// SONORA ROMULO MARINHO SOARES.// Essas unidades são parte de um programa de 15 obras, entre construções e ampliações, para o sistema prisional estadual. Quando concluídas, serão em torno de 7 mil novas vagas. O Depen fará concurso público para contratação de agentes penitenciários para atender essa demanda. Segundo o diretor do órgão, Francisco Caricati, as novas unidades vão receber prioritariamente os presos provisórios.// SONORA FRANCISCO CARICATI.// O pedreiro Itamar da Luz dos Santos começou a trabalhar no canteiro de obras exatamente quando a pandemia de Covid-19 iniciou no Paraná, há pouco mais de três meses. Era o emprego que precisava para cuidar da família.// SONORA ITAMAR DA LUZ DOS SANTOS.// A estimativa é que a Cadeia Pública de Ponta Grossa seja inaugurada no primeiro semestre do ano que vem. (Repórter: Amanda Laynes)


Recomendar esta página via e-mail: