Rádio - Notícias

27/05/2020

Ferroeste amplia operação e fecha quadrimestre com resultado recorde


A Ferroeste, estatal que opera a malha ferroviária entre Cascavel a Guarapuava, teve ampliação da capacidade de escoamento da safra de grãos e de industrializados e encerrou os primeiros quatro meses deste ano com lucro de 1  milhão e 660 mil reais. É o maior resultado da história da empresa para o período, alcançado mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. O crescimento foi de 180% em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado. Os números foram influenciados pela consolidação da operação conjunta com a Rumo Logística no trecho do Oeste ao Centro-Sul. O acordo comercial firmado em fevereiro possibilitou a ampliação da capacidade de escoamento da safra de grãos e de produtos industrializados, medida que beneficiou todo o setor produtivo. Na prática, a parceria Ferroeste/Rumo opera com até 10 trens por dia, o dobro da logística anterior. De acordo com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o desempenho demonstra a força do modal ferroviário para o Paraná. // SONORA RATINHO JUNIOR // O melhor resultado mensal foi em fevereiro, com lucro na casa de 1 milhão de reais. O faturamento bruto da Ferroeste foi de 10 milhões e 500 mil reais entre janeiro e abril. A companhia registrou ainda a maior movimentação da história em apenas 30 dias, com 160 mil toneladas transportadas em abril. No quadrimestre, o volume transportado foi de 496 mil toneladas, crescimento de 16,7% sobre o mesmo período de 2018. Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a parceria com a iniciativa privada contribuiu e uma gestão mais eficiente alavancaram os resultados. // SONORA SANDRO ALEX // André Luiz Gonçalves, diretor-presidente da Ferroeste, destacou que a estatal teve uma série de bons resultados neste ano graças a um trabalho de planejamento e reestruturação, com grande potencial para crescer ainda mais. // SONORA ANDRÉ GONÇALVES // O Contrato de Operações Específicas assinado entre a Ferroeste e a Rumo permitiu um novo modelo operacional baseado no direito de passagem, fundamental para aumentar a movimentação da carga para atender a região Oeste. Segundo o diretor-presidente da Ferroeste, os resultados positivos são importantes para atrair investidores para a operação logística ferroviária do Estado, que será ampliada nos próximos anos. O Governo do Estado contratou no ano passado um estudos de viabilidade técnico dos projetos da Nova Ferrovia, entre Paranaguá a Maracaju, no Mato Grosso do Sul, e do ramal ferroviário Cascavel a Foz do Iguaçu. O consórcio vencedor passa por análise do Banco Interamericano de Desenvolvimento e a expectativa é de iniciar os trabalhos no próximo mês. O projeto a médio prazo prevê um Terminal Multimodal em Foz do Iguaçu para ser operado inicialmente por via fluvial e rodoviário entre Foz do Iguaçu e Cascavel. Demonstrando a força logística do Estado, mesmo durante a pandemia foram registradas as maiores movimentações da história pela Ferroeste e a Portos do Paraná. No mês de abril, foram 160 mil toneladas transportadas por ferrovias e 5 milhões e 500 mil toneladas de cargas no setor portuário. Segundo dados da Secretaria de Indústria, Comércio Exterior e Serviços, vinculada ao Ministério da Economia, as exportações paranaenses totalizaram 1 bilhão e 460 milhões de dólares em abril, aumento de 5% em relação ao mesmo mês do ano passado. No primeiro quadrimestre, as vendas para o exterior aumentaram 2,6%, motivadas pela safra de verão da soja, que deve atingir mais de 40 milhões de toneladas. (Repórter: Rodrigo Arend)


Recomendar esta página via e-mail: