Rádio - Notícias

27/05/2020

Unidades prisionais terão protocolo único de combate a incêndios


O Setor de Combate a Incêndio e a Assessoria de Segurança do Departamento Penitenciário do Paraná, Depen, criaram o Protocolo de Emergência para Acionamento de Brigada Penitenciária. Com previsão de ser implementado em todas as unidades prisionais até o fim deste ano, o documento descreve como devem ser as ações de cada um dos setores em casos de emergência. O diretor geral do Depen, Francisco Caricati, destacou que a brigada terá ações padronizadas para enfrentar emergências. // SONORA FRANCISCO CARICATI // A Penitenciária Estadual em Francisco Beltrão, no Sudoeste, foi a primeira a implementar o projeto. O assessor de Segurança do Depen, Josielson Fabrício, ressaltou que os procedimentos serão repassados para todas as unidades. // SONORA JOSIELSON FABRÍCIO // O acionamento da brigada de incêndio segue um protocolo geral que inclui, entre outros procedimentos, alertas sonoros, planejamento de escalas e divisão de funções, gestão de segurança e ativamento dos sistemas já existentes de combate a incêndio, como bombas, rede de hidrantes e extintores. O protocolo estabelece quatro passos básicos para que a emergência seja atendida de forma correta. O programa de implementações prioriza as penitenciárias e casas de custódia. Em todo o Estado, o curso de brigadistas penitenciários, promovido pelo Setor de Combate a Incêndio e pela Escola de Formação e Aperfeiçoamento Penitenciário, já capacitou 994 agentes. Durante o curso eles aprenderam a operar equipamentos, identificar produtos perigosos e a reconhecer riscos, além de prestar os primeiros socorros. No ano passado, as penitenciárias e cadeias públicas do Depen passaram por vistorias nos sistemas de prevenção e combate a incêndio, executando, por exemplo, o acionamento das bombas centrífugas e expedição por gravidade em sistemas de cisternas elevadas nos hidrantes. (Repórter: Rodrigo Arend)


Recomendar esta página via e-mail: