Rádio - Notícias

18/02/2020

Governo do Paraná fechou 2019 com resultados positivos nas contas públicas


O Governo do Estado conseguiu gerar mais receita no ano passado e gerenciou as despesas de forma a garantir a manutenção dos serviços públicos, sem aumentar os gastos de forma expressiva. Com isso, obteve resultado primário 40 vezes maior que em 2018. Os resultados foram apresentados pelo secretário da Fazenda, Renê Garcia Júnior, durante audiência pública na Assembleia Legislativa do Paraná, em Curitiba, nesta terça-feira. Estes dados são relativos ao cumprimento das metas fiscais do terceiro quadrimestre do ano passado. Renê Garcia destacou que o trabalho realizado ao longo de 2019 ajudou a mudar o panorama da economia estadual.// SONORA RENÊ GARCIA.// Ao lembrar que todos os níveis de governo estão com dificuldades nos orçamentos, especialmente a União, que apresenta déficits recorrentes, o secretário da Fazenda mostrou que o Paraná vem apresentando índices positivos. Por exemplo, enquanto a indústria brasileira ainda não se recuperou, a paranaense já apresenta melhora substancial. Hoje o Estado gasta com a folha de pagamento quase 100% da receita oriunda de impostos e contribuições. A despesa com pessoal e encargos sociais está em 54% da receita corrente líquida, ou seja, já atingiu o limite de alerta estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O secretário destacou um cenário mais favorável da economia estadual dá mais confiança para que investidores apliquem no Paraná.// SONORA RENÊ GARCIA.// Renê Garcia ainda lembrou que, apesar do peso dos gastos com folha de pagamento, o Estado está trabalhando para abrir espaço para novas contratações, uma vez que é real a necessidade de reposição dos servidores de forma a não prejudicar os serviços públicos. O balanço ainda mostrou que a dívida do Estado aumentou neste exercício em cerca de cinco bilhões de reais em função do reconhecimento desse valor em precatórios identificados pelo TCE, o Tribunal de Contas do Estado, que não constavam da relação oficial. Em compensação, melhorou a poupança corrente, com tendência de queda, o que coloca o Paraná a caminho de obter a nota A na capacidade de pagamento a partir de 2021. Por enquanto, com base nos números de 2019, o Estado deve manter a nota B, o que já atesta o grau de bom pagador. Outro destaque da apresentação do secretário na Assembleia foi que o Paraná cumpriu os índices de aplicação de recursos em Saúde, de 12%, e Educação, de 32% exigidos por lei. Outras informações sobre o balanço podem ser conferidas no site fazenda.pr.gov.br (Repórter: Wyllian Soppa)


Recomendar esta página via e-mail: