Rádio - Notícias

14/02/2020

Novo sistema gera economia e agiliza construções do Estado


O Serviço Social Autônomo Paranacidade, vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas do Paraná, Sedu, deu início ao processo de transição dos sistemas convencionais para o uso da tecnologia BIM, para a avaliação e elaboração de projetos de construção civil. O BIM, ou Modelos de Informação da Construção, já é largamente utilizado em países da América do Norte e Europa, em projetos públicos ou privados. O processo reúne e compatibiliza em um único ambiente virtual todas as informações de uma obra civil, composta pelos projetos estrutural, hidráulico, elétrico e outros. Entre as vantagens que a tecnologia oferece estão o custo menor da obra e a maior possibilidade de cumprimento dos cronogramas. O Sistema de Modelagem também permite detectar e corrigir antecipadamente eventuais incompatibilidades. O analista de Desenvolvimento Municipal, Geraldo Farias, integrante do Grupo de Trabalho encarregado da transição de sistemas, ressaltou que o sistema permite perceber com antecedência qualquer necessidade de mudança e evita problemas na execução de obras.De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, o BIM permite que as obras tenham mais qualidade e eficiência a custos menores. // SONORA SANDRO ALEX // A mudança, definida por lei federal e por decreto estadual, determina a aplicação do processo nas obras do Governo do Paraná, a partir de 2022. A legislação deverá impactar as prefeituras municipais, uma vez que elas apresentam projetos a serem viabilizados via linhas oficiais de crédito ou pela transferência voluntária de recursos do Estado. O Grupo de Trabalho constituído para realização a mudança conta também com os analistas Glauco Pereira Junior e Fernando Caetano. Os profissionais são encarregados de elaborar o Plano Preliminar de Implantação do BIM, que será discutido com os demais técnicos do Paranacidade. O Plano de Transição deve incluir a aquisição de equipamentos e softwares, mas principalmente a capacitação do corpo técnico do Paranacidade para o uso dos novos recursos. O domínio do processo servirá, além da aplicação nos projetos desenvolvidos pela própria Instituição, ao apoio às Prefeituras Municipais que apresentam projetos para serem viabilizados, via financiamentos ou por recursos do Estado. (Repórter: Rodrigo Arend)


Recomendar esta página via e-mail: