Rádio - Notícias

12/02/2020

Comércio paranaense cresceu 2,7% no ano passado, aponta IBGE


O comércio varejista ampliado cresceu 2,7% no Paraná no ano passado, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, divulgada nesta quarta-feira. O índice acumulado é um comparativo com 2018 e foi puxado pelo crescimento das vendas de materiais de construção, veículos, motos, partes e peças e itens de uso pessoal ou doméstico. Também tiveram índices positivos categorias como supermercados, produtos alimentícios, bebidas, móveis e artigos farmacêuticos. Segundo o IBGE, o volume de vendas ampliado, que engloba materiais de construção e veículos, evoluiu ao longo do ano passado no Estado e registrou nove meses com indicadores positivos, na comparação imediata com o mês anterior. Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o desempenho do comércio reforça o período de recuperação da economia paranaense. // SONORA RATINHO JUNIOR // O índice se soma aos bons indicadores da indústria, que teve o maior crescimento do País, da geração de empregos, sendo o quarto Estado em criação de vagas formais, e novas empresas, com crescimento de 5% em relação a 2018 no volume de aberturas. O vice-governador Darci Piana, que também preside a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná, Fecomércio, também considera que o comércio paranaense tem evoluído em paralelo com a atividade industrial e agropecuária porque é o setor que concentra os pedidos. // SONORA DARCI PIANA // Piana também citou uma pesquisa de opinião do empresário do comércio, serviços e turismo que indica níveis de otimismo nos mesmos patamares de 2012 e 2013. A pesquisa do IBGE mostra que o crescimento de 8,7% do setor de veículos, motos, partes e peças foi o maior desde 2012 no Paraná. O crescimento do setor automotivo também foi constatado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, Fenabrave. Um relatório divulgado no começo deste ano destacou que a venda de veículos novos cresceu 8,65% em 2019. Foi o melhor número do setor nos últimos cinco anos. O segmento de pesados teve as maiores altas: para caminhões, foi de 33% em relação ao ano anterior, com 101 mil unidades emplacadas, e para ônibus foi de quase 39%, somando 27 unidades. O aumento nas vendas de automóveis e comerciais leves foi de 7,65%. (Repórter: Rodrigo Arend)


Recomendar esta página via e-mail: