Rádio - Notícias

06/12/2019

Ministério da Agricultura reconhece o Paraná como área livre da Peste Suína Clássica


A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Teresa Cristina, assinou nesta sexta-feira, instrução normativa que reforça o reconhecimento do Paraná como área livre da peste suína clássica. O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou da formalização da medida, durante o Encontro Estadual de Cooperativistas. Este evento é realizado na sede da Cooperativa Lar, em Medianeira, no Oeste do Paraná. O documento desmembra o Estado de um grupo que era formado por 14 unidades federativas. Ratinho Junior destacou a importância da medida por parte do Governo Federal.// SONORA RATINHO JUNIOR.// Ele lembrou que o Paraná conquistou o reconhecimento internacional concedido pela OIE, a Organização Mundial da Saúde Animal, em 2016. Porém, reforçou, somente com o ato desta sexta-feira é que o Paraná não fica mais vulnerável a eventuais casos de peste suína clássica na área não livre. A ministra Teresa Cristina destacou que a ação só pôde acontecer porque o Paraná vem buscando uma agropecuária inovadora e livre de doenças.// SONORA TEREZA CRISTINA.// A partir da validação da normativa, o Paraná passa a integrar um bloco, junto com Santa Catarina e Rio Grande de Sul, de estados completamente livres da doença. O que, além de reforçar as condições sanitárias e de vigilâncias do Estado, permite melhores condições perante o mercado para a exportação da carne suína, como explicou o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.// SONORA NORBERTO ORTIGARA.// Ortigara explicou que a instrução normativa dá a tranquilidade de que um problema que eventualmente ocorra em Sergipe, por exemplo, nao afete nosso Estado. Isso porque, apesar de estar a mais de dois mil e 500 quilômetros daqui, aquele estado fazia parte do antigo bloco do Paraná. Ele tem divisa com Alagoas, um dos locais considerados não livre da peste suína e, em outubro, duas ocorrências na região afetaram o Paraná. Dados apontam que nosso Estado teve produção de 840 mil toneladas de carne suína no ano passado, o que representa 21% da produção nacional. O Paraná ainda é o terceiro em comércio exterior de suínos, com 107 mil toneladas exportadas no período, o equivalente a quase 17% do total brasileiro. Entre janeiro e outubro deste ano, já foram enviados ao exterior 94 mil toneladas de carne suína. O evento em Medianeira celebrou o momento do setor cooperativista do Paraná. Além de estimativas que apontam para faturamento de 85 bilhões e 100 milhões de reais no ano, com alta de um bilhão e 400 milhões em relação a 2018, o setor projeta investimento de três bilhões e 500 milhões de reais Estado no próximo ano. Segundo Ratinho Junior, este aporte fortalece o agricultor, gera emprego e renda e ajuda o Estado a continuar crescendo. (Repórter: Wyllian Soppa)


Recomendar esta página via e-mail: