Rádio - Notícias

05/12/2019

Governo do Paraná entrega 32º Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia


O Governo do Estado divulgou nesta semana o resultado da 32ª edição do Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia. Os nove vencedores receberam 215 mil reais durante uma cerimônia no Palácio Iguaçu, em Curitiba. A iniciativa é da Superintendência Geral de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior. O superintendente Aldo Nelson Bona destacou a importância do prêmio, que tem como objetivo reconhecer o trabalho desenvolvido por pesquisadores, estudantes, inventores e jornalistas na busca por soluções inovadoras para as demandas sociais.// SONORA ALDO NELSON BONA//O professor Jesui Vergílio Visentainer, da Universidade Estadual de Maringá, venceu na categoria pesquisador com um estudo sobre acrilamida, substância presente no café que pode causar câncer.// SONORA JESUI VERGÍLIO VISENTAINER//O professor Waldiceu Aparecido Verri Junior, da Universidade Estadual de Londrina, é coordenador do mestrado e doutorado em Ciências da Saúde e explica que desenvolve uma pesquisa sobre novas moléculas, demonstrando os efeitos anti-inflamatório e analgésico em diversas doenças.// SONORA WALDICEU APARECIDO VERRI JUNIOR//Os estudantes premiados são da UEL, o Everton José Santana e a Caroline Yukari Motoori. Everton é ex-aluno de Engenharia Elétrica e fez um estudo sobre um novo método que aumenta o desempenho de diferentes parâmetros usados em análises da qualidade da carne. Caroline, estudante de Biomedicina, analisou uma molécula chamada TGF Beta, que pode inibir o crescimento de tumores de mama em fases iniciais. Já na categoria pesquisador-extensionista, o professor Marcos Cesar Danhoni Neves do Departamento de Física da UEM, explica que desenvolveu um estudo sobre a subversão do tempo e do espaço no cinema e a interdisciplinaridade no ensino da Física.// SONORA MARCOS CESAR DANHONI//Para compreender os agentes causadores do HPV, a professora do Departamento de Ciências Patológicas da UEL, Karen Brajão, desenvolve um projeto de exames para identificar o DNA do vírus do HPV antes mesmo dele provocar alguma lesão.// SONORA KAREN BRAJÃO//Na categoria de Inventor Independente, venceu o projeto Robô Laura, criado pelo analista de sistemas Jacson Fresatto, que encontra falhas operacionais e alerta os responsáveis, economizando tempo, recursos e até vidas no caso de hospitais. Na categoria Jornalismo, Victor Lopes de Moraes, do jornal Folha de Londrina, produziu a reportagem “do lodo ao bolso”, sobre o uso do lodo de esgoto para a melhoria na fertilidade e controle da acidez do solo. Patrícia Berwig, da TV Evangelizar, conquistou o prêmio com uma reportagem sobre uma organização da sociedade civil de apoio às pessoas afetadas com a Síndrome da Brida Amniótica. O Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia contempla, todo ano, em um sistema de rodízio, duas grandes áreas de conhecimento. Já são quase 110 premiados desde 1986, quando ele foi criado. As áreas previstas para o próximo edital, lançado ainda neste ano, são Ciências Humanas e Ciências Agrárias. (Repórter: Priscila Paganotto)


Recomendar esta página via e-mail: