Rádio - Notícias

11/11/2019

Retirada da substituição tributária deve reduzir preços de produtos


A retirada de 60 mil itens do setor de alimentos do regime de Substituição Tributária, embora tenha entrado em vigor no dia 1º deste mês, já está sendo comemorada em vários setores do empresariado. De acordo com o presidente da Associação Comercial do Paraná, Gláucio Geara, apesar do pouco tempo, já causou uma baixa nos preços.// SONORA GLÁUCIO GEARA.// Com a alteração do regime, milhares de produtos que eram tributados na origem passaram a ter a arrecadação escalonada dentro da cadeia comercial. A mudança na cobrança do ICMS, que deixou de ser antecipado, garante mais competitividade a empresas paranaenses, de acordo com Paulo Pennacchi, presidente do Sindicato do Comércio Atacadista e vice-presidente da Fecomércio, Federação do Comércio do Estado do Paraná. Segundo ele, como Santa Catarina já não usava esse sistema, os principais clientes do atacado, as microempresas, estavam se abastecendo no Estado vizinho. // SONORA PAULO PENNACCHI.// O vice-governador do Paraná Darci Piana destacou que essa é uma conquista fruto de um trabalho integrado entre governo e o setor privado.// SONORA DARCI PIANA.// O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Carlos Valter Martins Pedro, ressaltou que a indústria sempre defendeu mudanças no regime de substituição tributária que, por antecipar a cobrança do ICMS, muitas vezes comprometia o fluxo de caixa das empresas. Ele afirmou que impacto efetivo da medida sobre a indústria deverá ser sentido nos próximos meses. Saíram da lista, entre outros itens, biscoitos, bolachas, massas, pizzas, azeites de oliva, margarinas, óleos refinados, frutas e vegetais congelados, conservas de produtos hortícolas, doces, geleias e também vinhos. O volume de operações abrangidas é calculado em 4 bilhões e 400 milhões de reais anuais. (Repórter: Amanda Laynes)


Recomendar esta página via e-mail: