Rádio - Notícias

14/10/2019

Desembarque de cereais pelo Porto de Paranaguá cresce 31%


A importação de malte e cevada com entrada pelos portos do Paraná teve alta de 29% na comparação entre os meses de janeiro e setembro de 2019 com o mesmo período do ano passado. Outro granel de importação que apresentou alta no fechamento do período é o trigo, com 33% a mais do cereal. Nos nove primeiros meses deste ano, 385 mil e 700 toneladas de malte e cevada desembarcaram pelo Porto de Paranaguá. Nos nove primeiros meses de 2018 o volume somou 299 mil toneladas dos granéis. Os 63 navios que chegaram carregados com os produtos, de janeiro a setembro deste ano, trouxeram esses cereais da Argentina, Uruguai, Espanha, Austrália e Ucrânia. O destino é o próprio Paraná. As condições climáticas durante o último ciclo fizeram com que a safra nacional de cevada fosse reduzida. Para suprir a demanda interna foi necessário importar um volume maior. Algo semelhante acontece com o trigo. É preciso buscar o produto fora do Brasil, já que o país não produz o suficiente para atender o mercado interno. Este ano, até setembro, a importação do trigo somou 287 mil e 500 toneladas. Nos mesmos nove meses de 2018 o volume foi de 216 mil e 700 toneladas. Neste ano, 109 navios atracaram para desembarcar o produto no Porto de Paranaguá. Tanto o trigo quanto o malte e a cevada foram descarregados a granel e, em menor volume, em contêineres. De trigo, chegaram em contêineres 9 mil toneladas. De malte e cevada, pouco mais de 15 mil. De acordo com o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Júnior, no Porto de Paranaguá, no desembarque a granel, os cereais têm prioridade no berço preferencial para a descarga dos produtos.// SONORA LUIZ TEIXEIRA DA SILVA JÚNIOR.// No total de granéis sólidos de importação, conforme o balanço dos nove meses deste ano, foram cerca de 7 milhões e 600 mil toneladas descarregadas no porto paranaense. Neste volume, praticamente o mesmo do registrado em 2018, além dos cereais, estão os fertilizantes e o sal importados no período. Na importação dos fertilizantes, o destaque é aumento registrado pelo Porto de Antonina. Por lá, de janeiro a setembro, foram descarregadas 380 mil toneladas de adubos, 34% a mais que o registrado em 2018, com 283 mil e 600 toneladas. Em Antonina, no período, a movimentação total de cargas atingiu 622 mil e 900 toneladas. Além dos fertilizantes importados, as exportações de açúcar e farelo de soja também cresceram. De açúcar foram 48 mil e 919 toneladas, 59% a mais que o volume registrado no ano passado. De farelo, 193 mil e 856 toneladas, 0,5% a mais que o volume de 2018. A movimentação total dos Portos do Paraná, de janeiro a setembro deste ano somou 39 milhões e 700 mil toneladas. Desse volume, 26 milhões e 200 mil só de granéis sólidos de exportação e importação de grãos, farelo, cereais, sal e fertilizantes. (Repórter: Amanda Laynes)


Recomendar esta página via e-mail: