Rádio - Notícias

27/08/2019

Governo do Paraná estimula ciclo de industrialização de alimentos


O governador Carlos Massa Ratinho Junior defendeu, nesta terça-feira, que o Brasil deve reforçar a imagem de grande produtor global de alimentos. Ele também reafirmou a necessidade da industrialização da produção agropecuária para agregar mais valor aos produtos do campo. A afirmação do governador aconteceu na abertura do Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura, em São Paulo. Ele destacou que o Governo do Paraná trabalha para que o Estado alcance um novo ciclo de industrialização, com foco na produção agrícola, que seja capaz de atender a crescente demanda mundial por alimentos. Ele falou da vocação paranaense para o agronegócio e de investimentos a médio e longo prazo em infraestrutura e tecnologia para incentivar ainda mais a produção e a manipulação de proteína animal e de grãos. Segundo o governador, os grandes países deram saltos qualitativos nas áreas econômica e social quando entenderam a própria vocação e concentraram esforços para atingir determinadas metas. O Paraná e o Brasil, de acordo com Ratinho Junior, têm como matriz um agronegócio pujante e precisam apostar nessa produção para acelerar o desenvolvimento.// SONORA CARLOS MASSA RATINHO JUNIOR//O governador ainda ressaltou que o Paraná tem 2,3% da área nacional plantada, onde produz cerca de 17% dos grãos do País, além de ter a segunda maior bacia leiteira, liderar a produção de proteína animal, os índices de exportação de frango e estar entre os maiores produtores de suínos do País. Para ele, a estratégia agora é fazer com que toda essa produção passe por um processo de industrialização, porque isso gera emprego e arrecadação de impostos. Ratinho Junior destacou, ainda, que o Brasil precisa perder o medo de mostrar essa vocação e expor esse potencial, mesmo diante de um jogo de forças geopolítico cada vez mais acirrado.// SONORA CARLOS MASSA RATINHO JUNIOR//Durante o encontro em São Paulo, o governador disse que o Paraná modernizou todo o sistema de inspeção e vigilância para alcançar o status de área livre de febre aftosa sem vacinação em um futuro próximo. Ainda neste ano, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento vai declarar o Estado livre de febre aftosa sem vacinação, o que permite ao Paraná exportar, por exemplo, 200 mil toneladas por ano de carne suína, contra 107 mil toneladas atualmente. O Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura reúne 170 expositores e é a maior feira da cadeia produtiva de aves e suínos do País. São pelo menos 37 agroindústrias exportadoras de aves, ovos, material genético e de suínos. São aguardados 1.600 produtores rurais e 15 mil visitantes de mais de 50 países até quinta-feira. (Repórter: Priscila Paganotto)


Recomendar esta página via e-mail: