Rádio - Notícias

23/08/2019

Governador Ratinho Junior reforça para o ministro Marcos Pontes a meta de tornar o Paraná polo de tecnologia ao agronegócio


O governador Carlos Massa Ratinho Junior reforçou, nesta sexta-feira, durante encontro com o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, a meta de transformar o Paraná em um grande polo de inovação em agritech, tecnologia aliada ao agronegócio. O governador recebeu o ministro no Palácio Iguaçu, em Curitiba, após ele receber o título de cidadão honorário do Paraná na Assembleia Legislativa. Para Ratinho Junior, somente com o uso de tecnologia o agronegócio do Paraná vai conseguir mudar de patamar na produção de alimentos, ganhando em qualidade e ampliando as exportações.// SONORA CARLOS MASSA RATINHO JUNIOR//Uma das possibilidades citadas pelo governador é começar o projeto por Londrina, no Norte do Paraná, aproveitando o ecossistema de inovação já implantado na região, que conta com mais de 400 startups. O ministro Marcos Pontes afirmou que também aposta no Paraná como celeiro de ideias inovadoras, distribuindo tecnologia para as diversas regiões do País.// SONORA MARCOS PONTES//O ministro mencionou a criação, neste mês, de um grupo para discutir tecnologias digitais da chamada “Internet das Coisas” no campo. A “Câmara Agro 4.0” vai contar também com outros órgãos, pesquisadores, associações e empresas do setor. O termo “Internet das Coisas” é usado para citar um ecossistema em que não apenas pessoas estão conectadas por meios de computadores e smartphones, mas também dispositivos estão interligados entre si, com usuários e sistemas complexos de coleta, processamento de dados e aplicações de diversos tipos. Na agricultura, um exemplo é o uso de sensores em tratores que medem a situação do solo e enviam dados para sistemas responsáveis por fazer sugestões das melhores áreas ou momentos para o plantio. Outro exemplo é o uso de sistemas para fazer previsão de variações de microclima nas áreas da terra, melhorando o preparo para as alterações de temperatura ou início e fim de chuvas. A Câmara também deve analisar programas para fomento à compra e difusão de tecnologias inovadoras, para estimular a criação e o crescimento de startups, ampliando a produtividade no campo. (Repórter: Priscila Paganotto)


Recomendar esta página via e-mail: