Rádio - Notícias

03/05/2019

Paraná é referência nacional em tratamento de lábio leporino


Cerca de 2 mil pacientes são atendidos por mês no Caif, o Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Labio-Palatal, no Hospital do Trabalhador, em Curitiba, exclusivamente pelo SUS. O Centro Cirúrgico Eletivo do Hospital atende cerca de 100 cirurgias por mês, incluindo algumas de alta complexidade. O Caif e o Hospital do Trabalhador são instituições que integram a rede de unidades próprias da Secretaria da Saúde do Paraná. O Centro é referência no País para o tratamento de deformidades da face. A maior parte dos atendimentos está relacionada ao lábio leporino e fenda palatal, que têm incidência de um caso a cada 650 nascimentos. Trata-se de malformação que ocorre no embrião logo nos primeiros meses de desenvolvimento, ainda no útero. Quando as duas partes do lábio e o céu da boca não se unem no final do processo de formação embrionária, surge a fissura palatina. Ela pode ser diagnosticada na 14ª semana de gestação por meio de exames de imagem e na maior parte das vezes, é hereditária. O diretor-geral do Hospital do Trabalhador, Geci Labres de Souza Junior, afirma que o Centro possui profissionais qualificados e equipamentos de alta tecnologia e é uma das poucas do Brasil a prestar este tipo de atendimento de forma integral.// SONORA GECI LABRES DE SOUZA//Além dos cuidados de cada uma das especialidades médicas, é preciso evitar distúrbios respiratórios, infecções crônicas, má nutrição e problemas na dentição. No Caif, os pacientes recebem atenção de uma equipe especializada multidisciplinar. Ele é especializado em várias síndromes craniofaciais congênitas, além de inúmeros tipos de fissuras labiopalatal, e atrai pacientes de outros 17 estados brasileiros. Os resultados obtidos no Caif são equivalentes ao conhecido Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo, em Bauru. Conhecido como Centrinho, o hospital paulista foi o primeiro do país, criado há 50 anos e era para lá que os pacientes paranaenses tinham que se deslocar para obter atendimento até 1992, quando foi criado o serviço no Hospital do Trabalhador. (Repórter: Priscila Paganotto)


Recomendar esta página via e-mail: