Rádio - Notícias

07/03/2019

Paraná firma parceria para uso da tecnologia blockchain, que garante mais segurança e agilidade para os processos digitais


O Governo do Paraná assinou um acordo que vai permitir buscar maior segurança às informações digitais e bancos de dados do Estado, por meio da tecnologia chamada de blockchain. A parceria foi assinada com a BRI Brasil Blockchain Research Institute, no qual o Estado será pioneiro no processo de expansão e implantação desta tecnologia, por meio da Celepar, Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná. O objetivo é criar uma gestão pública desburocratizada, ágil e, acima de tudo, com transparência. O acordo foi oficializado nesta quinta-feira, no auditório da Celepar, que fica no Centro Cívico, em Curitiba. A BRI Brasil é uma organização canadense e focada em pesquisas inovadoras sobre a tecnologia blockchain, que consiste em blocos de informações que registram várias transações, com cópias espalhadas em diversos computadores. Esse sistema dificulta a alteração de dados, já que a mesma informação teria que ser modificada em todos os computadores, impedindo assim situações como desvios de recursos públicos. O diretor-presidente da Celepar, Allan Costa, ressaltou a importância dessa parceria na desburocratização e inovação no serviço público. // SONORA ALLAN COSTA // O executivo da BRI Brasil Carl Amorim, destacou que vários benefícios desta tecnologia podem ser aplicados na gestão pública do Paraná. // SONORA CARL AMORIM // O evento foi encerrado com um painel conduzido pelo diretor técnico da Agência Paraná de Desenvolvimento, Giancarlo Rocco, do qual participaram representantes do setor privado que já utilizam a tecnologia blockchain e a diretora de Operações do Paranacidade, Camila Mileke Scucato. Ela detalhou como funciona todo o fluxograma de obras e pagamentos no Estado e que esta tecnologia pode simplificar o processo envolvendo obras nos municípios. Por meio de aplicativos, por exemplo, os municípios poderiam encaminhar projetos para financiamento, assim como o corpo técnico do Paranacidade realizar as avaliações e aprovações. (Repórter: Rodrigo Arend)


Recomendar esta página via e-mail: