Rádio - Notícias

27/12/2017

Infraestrutura mais moderna melhora vida dos paranaenses


Neste ano, o Paraná alcançou a marca de mais de 500 quilômetros em obras de duplicação de rodovias, uma movimentação anual recorde de cargas superior a 50 milhões de toneladas no Porto de Paranaguá e a projeção de uma nova ferrovia ligando o Estado ao Mato Grosso do Sul, com custo estimado em 10 bilhões de reais. Nos últimos sete anos, as rodovias do Paraná receberam mais de 3 bilhões e 800 milhões de reais em investimentos, somando os contratos por concessão e os trabalhos de conservação executados pelo Departamento de Estradas de Rodagem. A somatória destes fatores projetou o Estado como o melhor da Região Sul em relação às condições do pavimento. De acordo com o levantamento da Confederação Nacional do Transporte deste ano, cerca de 43% de mais de 6 mil e 300 quilômetros de vias avaliadas, foram classificadas como ótimas. Segundo o secretário José Richa Filho, todas estas conquistas são avaliadas como resultado de um trabalho de longo prazo, iniciado ainda em 2011, com a criação da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística.// SONORA JOSÉ RICHA FILHO//O Governo do Paraná também criou uma proposta de construção de um novo ramal ferroviário, visando reduzir os custos de operação e facilitar o escoamento da produção agrícola do Centro-Oeste brasileiro pelo Porto de Paranaguá. Neste ano, o Porto de Paranaguá teve a maior marca de movimentação de cargas da história, com 50 milhões de toneladas. O recorde é resultado dos mais de 868 milhões de reais em investimento público desde 2011. O Estado também destinou 45 milhões de reais para a contratação de estudos, obras de infraestrutura e aumento de capacidade em aeroportos regionais. Todas estas ações foram estabelecidas com base no Plano Aeroviário do Estado, levantamento técnico da Secretaria em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária. O Governo do Paraná assinou neste mês o financiamento do Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes do Paraná junto ao BID, o Banco Interamericano de Desenvolvimento. O Estado captou 770 milhões de reais e em contrapartida vai aportar outros 660 milhões de reais. Do total de investimentos previstos no Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes, 85% serão destinados a obras civis, principalmente em estradas. De acordo com o secretário José Richa Filho, no primeiro semestre do ano que vem, estão previstas as primeiras obras em cidades que ainda não tem acesso asfaltado à malha rodoviária do Estado.// SONORA JOSÉ RICHA FILHO//Além dos recursos em rodovias, o financiamento do BID prevê a criação de pontos de armazenagem de grãos, estacionamentos e áreas de serviços em Regiões estratégicas para o transporte de cargas no Paraná. Vão ser contratados estudos para analisar a viabilidade de construir esses centros em Cascavel, Maringá, Ponta Grossa, Guarapuava e Guaíra. (Repórter: Priscila Paganotto)


Recomendar esta página via e-mail: