Rádio - Notícias

27/10/2017

Paraná deve colher 23 milhões e 150 mil toneladas de grãos na safra de verão


O plantio de grãos de verão da safra 2017/2018, que estava atrasado no Paraná, recuperou a normalidade com o retorno das chuvas neste mês. A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento está prevendo uma colheita de 23 milhões e 150 mil toneladas, um volume 8% menor ao colhido no ano passado. A estimativa de safra é menor porque os cálculos consideram que os níveis de produtividade das principais lavouras só voltam à normalidade neste ano. De acordo com o relatório divulgado pelo Deral, o Departamento de Economia Rural, é difícil repetir o desempenho da safra passada, que registrou produtividades recordes diante de um quadro climático favorável. O clima beneficiou as culturas em todo o País e nos demais países da América do Sul e do Norte. No Brasil, foram colhidas mais de 240 milhões de toneladas, que também foi um recorde. Para o diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, com o retorno das chuvas, as condições de plantio normalizaram e isso foi possível com o elevado grau de mecanização e tecnologia aplicada nas lavouras, que permitiram a recuperação do plantio.// SONORA FRANCISCO CARLOS SIMIONI//Em relação à comercialização, este ano os produtores sentiram uma forte reação na queda dos preços do milho e isso está retratado na área plantada da primeira safra, que é a menor da história, segundo o Deral. A soja, por ser um produto de maior liquidez no mercado, absorveu toda a área de milho de primeira safra que deixou de ser plantada. Segundo o diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, além desse fator, observa-se que o ritmo de venda antecipada da nova safra que está em fase plantio, também está mais lento e o produtor está mais cauteloso na hora de vender.// SONORA FRANCISCO CARLOS SIMIONI//O plantio de soja recuperou a normalidade após as chuvas, mantendo a previsão de ficar 3% acima da área plantada no ano passado, e a expectativa é de 19 milhões e 500 mil toneladas. A área plantada com milho da primeira safra caiu 34%, sendo esperada uma produção de 3 milhões de toneladas. O feijão também sofreu um atraso no plantio, por causa da seca, mas se recuperou. Até agora cerca de 87% da área prevista já foi plantada e o volume esperado é 4% acima do ano passado. Já o trigo, cerca de 83% da área plantada no Paraná foi colhida e o Deral confirma a expectativa de redução de 36% da safra, colhendo 2 milhões e 200 mil toneladas. Com o retorno das chuvas, a colheita de mandioca também foi normalizada e a previsão é colher 3 milhões e 200 mil toneladas. O fumo é outra cultura que mantém rentabilidade aceitável e o plantio esse ano aumentou 8%, devendo atingir 189 mil toneladas. (Repórter: Priscila Paganotto)


Recomendar esta página via e-mail: