Rádio - Notícias

12/09/2017

Mutirão Paranaense de Cirurgias Eletivas atende pacientes de ilhas e comunidades isoladas


O Mutirão Paranaense de Cirurgias Eletivas vem transformando, de leste a oeste do Estado, a vida de milhares de pessoas. Nesta segunda-feira, foi a vez de moradores de Guaraqueçaba, no Litoral, serem beneficiados com a segunda etapa do mutirão. Ao todo, mais de 250 pacientes de ilhas e comunidades rurais já foram atendidos. O objetivo é reduzir a fila de espera do SUS na área de oftalmologia, com a oferta de consultas, exames e cirurgias de catarata. Somente com recursos do Governo do Estado, já foram feitos 364 procedimentos. O grande volume de cirurgias se deve ao acúmulo na demanda, reprimida há mais de cinco anos. O motivo é a dificuldade de se levar especialistas para a região, cuja melhor opção de acesso é pelo mar. De acordo com o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, os resultados do mutirão paranaense são positivos e inquestionáveis.// SONORA MICHELE CAPUTO NETO.// Com a cirurgia de catarata, é substituída a lente natural do olho por uma artificial. Em Guaraqueçaba, os procedimentos foram no Hospital Estadual, que detém estrutura necessária para garantir a segurança e a qualidade do serviço. Segundo a diretora da 1ª Regional de Saúde, Ilda Nagafuti, o Governo do Paraná realizou uma grande operação de logística para tornar possível o mutirão.// SONORA ILDA NAGAFUTI.// Desde o início do mutirão de cirurgias eletivas, pelo menos 35 mil cirurgias de catarata já foram feitas no Estado. O próximo passo agora é estender a iniciativa aos demais municípios do Litoral. O trabalho de triagem já foi iniciado. Além disso, o governo estadual tem avançado também na redução da fila de espera em outras especialidades, como ortopedia, ginecologia, hérnia, vasculares, entre outros. Em quase dois anos, são mais de 66 mil procedimentos feitos com recursos do tesouro estadual. (Repórter: Amanda Laynes)


Recomendar esta página via e-mail: