Rádio - Notícias

19/06/2017

Em Londres, Governador Beto Richa destaca avanços do Estado e o bom diálogo com o setor privado


O governador Beto Richa disse nesta segunda-feira, durante a Conferência Internacional Global Expansion Summit, em Londres, que o Paraná vive o maior ciclo de investimentos da história em razão dos programas de incentivo, das melhorias da infraestrutura e ao bom diálogo entre o governo e setor privado. Ele também ressaltou o reconhecimento internacional que o Estado tem obtido, como dos grupos britânicos The Economist e Financial Times e da agência de classificação de risco americana Fitch. O governador foi um dos palestrantes do evento que reúne governantes, empresas e representantes de fundo de investimentos estrangeiros para discutir as transformações da era digital e negócios internacionais. Beto Richa contou que apresentou o Paraná a investidores e mostrou o bom momento pelo qual passa o Estado, apesar da crise econômica brasileira.// SONORA BETO RICHA.// O governador lembrou que por dois anos seguidos o ranking do grupo britânico The Inteligence, ligado à revista The Economist, apontou o Paraná como o segundo estado mais competitivo do País, atrás apenas de São Paulo. A Fitch elevou a nota de crédito do Paraná de AA para AA+, a apenas um passo do grau máximo que é o AAA. O Paraná Competitivo, apontado pelo jornal Financial Times como um dos programas de incentivos fiscais mais efetivos do mundo, atraiu uma massa de investimentos produtivos recorde no Estado. Entre 2011 e 2016 o Paraná recebeu 15 bilhões de dólares na instalação de novas indústrias, como as europeias, chinesas, norte-americanas, japonesas e brasileiras, que geraram 400 mil empregos diretos e indiretos. De acordo com Beto Richa, esses são elementos que dão segurança para quem queira investir no Estado.// SONORA BETO RICHA.// Na palestra, o governador Beto Richa também citou alguns investimentos, como o da Renault, que aplicou um bilhão de dólares na expansão da unidade em Curitiba, a mais moderna da empresa fora da França, assim triplicando a capacidade de produção para 300 mil veículos por ano. A Klabin, empresa brasileira de papel e celulose, fez recentemente um dos maiores investimentos privados da história do País: mais de 2 bilhões de dólares para erguer uma nova fábrica na região dos Campos Gerais. O governador ainda citou que parcela considerável da produção das duas fábricas é exportada pelo Porto de Paranaguá, o segundo maior do Brasil e o principal corredor de exportações do Cone Sul americano. O governador destacou que os investimentos no porto o tornaram mais ágil e eficaz, e o aumento da capacidade operacional permite que o terminal receba os maiores navios do mundo, em absoluta segurança. (Repórter: Amanda Laynes)


leia mais
Previsão do Tempo
www.simepar.br