Rádio - Notícias

07/08/2016

Governador Beto Richa e secretária de Estado da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, acompanham mutirão de cirurgias eletivas de catarata em Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado


O governador Beto Richa e a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa acompanharam neste domingo o mutirão de cirurgias eletivas de catarata no Hospital Municipal Padre Germano Lauck, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado. A meta é operar, neste fim de semana, cerca de 250 pessoas dos nove municípios da 9ª Regional de Saúde. Em dois meses, foram feitas 635 cirurgias na região, e a expectativa é que mais de dois mil pessoas passem pelo procedimento até o final do ano. A catarata é uma doença grave, que compromete a visão e pode até levar a cegueira. Na cirurgia é substituída a lente natural do olho por uma artificial. Em todo o Paraná, foram mais de 20 mil cirurgias de catarata desde o lançamento do Mutirão Paranaense de Cirurgias Eletivas, no ano passado. O governador visitou as pessoas que aguardavam no pré-operatório e conversou com os pacientes que já tinham passado pelo procedimento. Beto Richa ressaltou que o Governo do Estado tem reduzido significativamente as filas das cirurgias eletivas no Paraná, especificamente as de catarata. //SONORA BETO RICHA.// De acordo com o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, o Paraná é o único Estado do país a aplicar recursos próprios nesta área. Entre as pessoas que aguardavam pela cirurgia estava Nina Vilarreal, de 62 anos, que perdeu completamente a visão há cerca de dois anos em consequência da catarata. Para o genro dela, Josué Ribeiro, a expectativa de que ela volte a enxergar é muito grande. //SONORA JOSUÉ RIBEIRO.// Segundo o diretor da 9ª Regional de Saúde, Ademir Ferreira, a proposta é acabar com a fila para cirurgias de catarata na região. //SONORA ADEMIR FERREIRA.// A secretária de Saúde de Foz do Iguaçu, Alice Macedo da Silva, afirmou que o apoio do Governo do Estado é fundamental para que o município e a região atendam à demanda pela cirurgia de catarata. //SONORA ALICE MACEDO DA SILVA.// Todo o processo é feito no mesmo dia e não necessita de internação. O paciente é levado pelo serviço de transporte sanitário do município onde mora, faz todos os exames pré-operatórios no hospital e é encaminhado imediatamente para cirurgia, se for a indicação médica. Após o procedimento, ele recebe orientações médicas e ganha ainda um óculos de proteção e um colírio para o período de recuperação. (Repórter: Léo Coelho)


Recomendar esta página via e-mail: