Rádio - Notícias

10/12/2012

Indústria do Paraná assume compromisso com destinação de embalagens e resíduos


O Paraná deu nesta segunda-feira, um passo importante para implantar no Estado a logística reversa, que é um termo que define a responsabilidade do fabricante pela destinação final de embalagens e resíduos após o uso. Na presença do governador Beto Richa, representantes de entidades empresariais assinaram termos pelos quais se comprometem a adotar medidas para promover o recolhimento e a destinação ambientalmente adequada das embalagens ou resíduos dos produtos. A logística reversa é um dos principais instrumentos da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que prevê o fim dos lixões até 2014 e pretende envolver toda a sociedade na busca de alternativas que possibilitem a mudança de hábitos. A lei, que trata do assunto, prevê responsabilidade compartilhada entre fabricante, comerciante e consumidor pela destinação final dos produtos. De acordo com o governador Beto Richa, é fundamental que as indústrias paranaenses tenham responsabilidade com o meio ambiente e os documentos assinados hoje mostram que há uma nova postura no setor.// SONORA BETO RICHA// Nesta primeira etapa, assinaram os termos de compromisso os segmentos de higiene pessoal, lubrificantes, agrotóxicos, bebidas, telefonia móvel, filtros de cigarros e pneus. Também foi assinado um termo de compromisso com a Fiep, que representa 108 sindicatos, dos quais 61 já informaram que vão aderir à proposta de responsabilidade pós-consumo a partir do ano que vem. Segundo o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Jonel Iurk, os documentos assinados resultam de uma série de reuniões entre representantes do governo e de entidades do setor industrial. Ele enfatizou que o Paraná sai ganhando no aspecto ambiental, reduzindo desperdícios e melhorando a produção.// SONORA JONEL IURK// O presidente da Fiep, Edson Campagnolo, disse que o objetivo da entidade é orientar os produtores sobre as exigências da legislação. Ele enfatizou que a Fiep, é a primeira Federação do Brasil a cumprir essa norma, o que mostra a boa relação do setor com o governo estadual.// SONORA EDSON CAMPAGNOLO// De acordo com as associações nacionais da indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, a meta do setor é, até dezembro do ano que vem, implementar dez centrais de triagem nos maiores municípios paranaenses. A previsão é recolher e reciclar no mínimo 11.640 toneladas de materiais recicláveis até 2015, o que corresponde a 22% do volume total das embalagens que deverão ser inseridas no mercado paranaense. Para João Carlos Basílio, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, é importante que o consumidor participe do processo de reciclagem. Para isso, a associação realiza um trabalho de orientação da população e de capacitação de coletores de cooperativas.// SONORA JOÃO CARLOS BASILIO// Os documentos, assinados na Federação das Indústrias do Paraná, a Fiep, em Curitiba, definem metas por setor produtivo e atendem ao chamamento público feito pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente. ( Repórter: Juliane Silva)


Recomendar esta página via e-mail: